A Ferrari FF é, de fato, a primeira incursão da marca no segmento familiar, mas não se trata do seu primeiro esportivo a virar perua. Isso porque graças a um dos homens mais ricos do mundo, o Sultão do Brunei, o modelo 456 teve sete exemplares convertidos para o padrão “shooting brake” na década de 1990.

Em relação ao cupê, a perua tinha 20 cm a mais de entreeixos e quatro portas, mas não foi modificada pela Ferrari. O estúdio Pininfarina, que a desenhou, ficou responsável pelo trabalho artesanal. O monarca recebeu apenas seis exemplares a um custo unitário de US$ 1,5 milhão na época. Além da perua, também um sedã 456 foi feito para outro bilionário belga, que encomendou dois exemplares.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/