Se você estava cogitando comprar um Fiat Mobi espere até a próxima semana. Revelada neste mês durante o Salão de São Paulo, a nova versão Drive chegará a partir de segunda-feira (28) nas lojas por R$ 39.870 e traz como destaque o motor 1.0 Firefly de 3 cilindros, propulsor que fez estreia no novo Uno e caiu como uma luva no Mobi.

Posicionada entre as versões Like e Like On, que seguem em linha com o motor 1.0 Fire aprimorado, o Mobi Drive traz de série os itens de série que praticamente se tornaram obrigatórios como ar-condicionado, direção com assistência elétrica, vidros dianteiros e travamento central elétricos, limpador, lavador e desembaçador do vidro traseiro. O destaque fica por conta da tela de LCD posicionada no centro do painel de instrumentos, que abriga computador de bordo e outras funções. 

Assim como nas outras versões do Mobi, é possível baixar o aplicativo Live On e fazer do celular uma espécie de central mutimídia do carro, pareando o smartphone com o sistema do som do Mobi via Bluetooth. Além de permitir controlar aplicativos de navegação como o Waze ou música, como o Spotify, o Live On ainda traz alguns recursos interessantes, como a função “Onde Parei?”, que registra o local onde o carro foi estacionado, e o EcoDrive, um "professor" para educar o motorista sobre a forma mais econômica de conduzir. Em conjunto com este pacote de opcional, que custa R$ 4.650, o kit Live On também acrescenta faróis de neblina, sensor de estacionamento traseiro, alarme com telecomando e “acabamento premium” para o interior. 

Soluções à parte, é claro que o utilizar o Live On no smartphone sai muito mais barato do que colocar uma central multimídia no carro (existe o equipamento como acessório para o Mobi), porém é inegável que a solução é bem prática. Quem quiser um rádio mais convencional, a Fiat também oferece para o Mobi Drive o pacote opcional “Rádio Connect” (R$ 4.500), que além do aparelho de som acrescenta o volante multifuncional, rodas de liga leve aro 14”, console de teto e retrovisor elétrico com rebatimento automático quando a ré é engatada e luz de seta integrada. 

Com 3,56 m de comprimento e 1,63 m de largura, portanto sem alterações em relação às demais versões, o Mobi Drive mantém a proposta estritamente urbana. Esqueça levar 4 adultos, por exemplo, ou muita bagagem em seu exíguo porta-malas de 215 litros. A ideia do Mobi é servir como um carro para o dia a dia, de casa para o trabalho e nada muito além de levar mais uma pessoa com você. Se a ideia é um carro para toda a família, aí é necessário partir para um Hyundai HB20 1.0 Comfort (R$ 41.655) ou um Ford Ka SE 1.0, que pode ser encontrado em promoção na faixa de R$ 39.900. 

 

Fiat Mobi Drive

  • Resumo

    Preço

    R$ 39.870

    Categoria

    Hatch compacto

    Rivais

    Volkswagen up!, Kia Picanto

    Vendas em 2015

    Estreia em 2016

  • Mecânica

    Motor

    1.0, 3 cilindros, flex

    Potência

    77 cv (E) a 6.250 rpm / 72 cv (G) a 6.000 rpm

    Torque

    10,9 kgfm (E) / 10,4 kgfm (G) a 3.250 rpm

    Transmissão

    Manual, 5 marchas

  • Dimensões

    Medidas

    3,56 m de comprimento, 1,63 m de largura, 1,50 m de altura e 2,30 m de entre-eixos

    Peso

    945 kg

    Porta-malas

    215 litros

 

Argumentando as vantagens do cabeçote com 2 válvulas por cilindro sobre os rivais que utilizam o dobro da quantida, a Fiat explica que o desenvolvimento do motor 1.0 Firefly com 3 cilindros priorizou entregar muita economia de combustível sem perder a característica do fun to drive, ou seja, a melhor agilidade nas respostas considerando que você está em um modelo 1.0. Com bloco de alumínio e comando de válvulas variável na admissão, o 1.0 Firefly entrega até 77 cv com etanol e 10,9 kgfm de torque. A força é de exatos 1 kgfm maior em relação ao 1.0 Fire aplicado nas demais versões do Mobi.

Comparando com os rivais no mercado, o 1.0 Firefly perde em potência para o 1.0 12V do Volkswagen up! (82 cv) e do Ford Ka 1.0 (85 cv), porém ganha de ambos no torque, já que o up! aspirado estaciona nos 10,4 kgfm e o Ka em 10,7 kgfm, sempre considerando os dados com etanol. “As pessoas geralmente não ultrapassam a faixa de 4.000 rpm, trabalhando com o motor mais em baixas rotações em especial na cidade, e a ideia com o Firefly foi justamente priorizar o torque, melhorando as respostas em baixas rotações, algo em que o cabeçote de 2 válvulas por cilindro cumpre melhor em relação aos de 4 válvulas em que o foco é maior potência”, explica Erlon Rodrigues, da área de powertrain (conjunto motor e câmbio) da FCA.

Quer você concorde ou não com o engenheiro, fato é que o Mobi Drive responde à altura tanto do VW up! aspirado como do Ford Ka 1.0, com destaque para o baixo nível de vibração para um tricilíndrico, algo muito positivo. O ruído também é baixo, em especial com o Mobi Drive parado. Segundo a Fiat, o Mobi Drive acelera de 0 a 100 km/h em 12 segundos, uma melhora considerável em relação aos 13,8 segundos dos Mobi com o motor 1.0 de 4 cilindros e na média dos rivais.

A suspensão trabalha de forma descompromissada, sem qualquer apelo esportivo, mas absorvendo bem as irregularidades do piso, o que, convenhamos, é o que mais se espera de um carro como o Mobi. A carroceria também é comportada nas curvas, sem assustar. E como a ideia é rodar na cidade, a função City, que alivia o peso do volante para manobras, é um recurso bem-vindo.

Voltando para o motor, a Fiat bate na tecla do baixo consumo do Mobi Drive com razão. Segundo os dados medidos de acordo com os padrões utilizados pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, o compacto alcançou parciais de 13,7 km/l na cidade e 16,1 km/l na estrada, ambas com gasolina, registrando um consumo energético de 1,45 MJ/km. O up! aspirado, entrega 14,2 km/l na cidade e 15,3 km/l na estrada, com 1,46 MJ/km de consumo energético, portanto uma briga em equilibrada. O Ka SE 1.0, outro aspirado moderno dentro do segmento, estaciona em 13,5 km/l na cidade e 15,7 km/l na estrada com consumo energético de 1,49 MJ/km. Nenhum deles, contudo, não chega nem perto do Peugeot 208 1.2 com suas médias de 15,1 km/l na cidade e 16,9 km/l na estrada e consumo energético de apenas 1,32 MJ/km. Ele sim é um modelo com médias exemplares que parece longe de ser batido por um concorrente aspirado. 

Com isso, o Mobi Drive vive um dilema: ao mesmo tempo que é a versão mais interessante para o subcompacto da Fiat , será que vale a pena investir quase R$ 40.000 nele? Seguramente as versões que justificam a compra do Mobi situam-se na faixa de R$ 30.000 a R$ 35.000, a não ser que você goste do estilo prático do Mobi, pequeno e fácil de estacionar, aí sim o Mobi Drive deve ser considerado. Caso contrário, modelos como o Ford Ka entregam um conjunto mais completo, com destaque para o bom espaço interno.

Quando questionada, a Fiat promete que não vai equipar mais nenhuma versão do Mobi com o 1.0 Firefly, sendo que o Mobi Drive ganhará uma opção com câmbio robotizado Dualogic ao longo de 2017, sem um mês especifíco. A futura configuração promete ser ainda mais econômica, com médias de 14 km/l na cidade e 15,9 km/l em percurso rodoviário, totalizando 1,43 MJ/km de consumo energético. Resta saber se os “soluços” nas trocas de marcha, algo típico dos câmbios robotizados, não vão incomodar demais.

 
 
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
 

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |