É a volta do “cuore sportivo”, ou coração esportivo. Uma das marcas de automóveis mais tradicionais do mundo, a Alfa Romeo, voltará a ser vendida no Brasil em 2012.

Quem deu a boa notícia foi nada menos que o presidente do grupo Fiat, dono da Alfa, Sergio Marchionne, que esteve no Brasil na semana passada para participar de um fórum automotivo.

Marchionne, no entanto, não deu detalhes do projeto nem quais modelos serão vendidos aqui. Mas não é preciso ser especialista no assunto para entender a razão da nova investida.

A Alfa está em crise na Itália e seu futuro anda ameaçado caso não recupere suas vendas. O ultimato partiu do próprio Marchionne, que quer reverter a situação o mais rápido possível. A estratégia é voltar a atacar mercados distantes, coisa que a Alfa Romeo havia abandonado. A maior aposta são os Estados Unidos, onde os italianos desembarcarão também em 2012.

A presença lá facilitaria a chegada em outros mercados do continente como o Brasil. Modelos atraentes não faltam: Giuletta, MiTo e o novo sedã de luxo que a marca lançará deverão estar no menu das concessionárias.

Rede independente

No Brasil, é sensato pensar que a Fiat não repetirá a mesma filosofia adotada na década passada, em que montou os show-rooms da Alfa dentro de concessionárias da própria Fiat. Como mostra a experiência de outros grupos como a VW (Audi) e BMW (Mini), o correto é criar uma rede independente, com poucas mas bem preparadas lojas em locais estratégicos e de alta concentração de renda como a região dos Jardins, em São Paulo.

Com isso, o mercado brasileiro coleciona mais uma marca de automóveis, sinal de seu amadurecimento.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/