Poucas coisas são tão estressantes quanto os engarrafamentos e o famoso anda e para do trânsito nos grandes centros urbanos. Mas você já parou para se perguntar quantas vezes estamos sujeitos a isso no ano?

Uma interessante pesquisa realizada pela Castrol em parceria com a TomTom revelou que, no mundo, os motoristas vivem situações de anda e para em seus deslocamentos cerca de 18.000 vezes por ano.

Na cidade de São Paulo (SP), a maior metrópole do Brasil, o número de vezes que os motoristas vivem situações de anda e para é de 22.800 vezes por ano, considerando o período 2015/2016. O número, contudo, é melhor do que o registrado em 2013, quando a média na capital paulista era de 22.920 vezes por ano.

De acordo com a pesquisa da Castrol e da TomTom, a cidade brasileira com menos anda e para no trânsito é Belo Horizonte (MG), com 18.480 anda e para registrados por cada motorista por ano. Assim como em São Paulo, a cidade mineira também melhorou em relação à 2013, quando registrou uma taxa de 19.200 anda e para/ano. Curitiba (PR) aparece logo em seguida com 19.680 e Salvador (BA) com 20.520 anda e para registrados por ano. A capital paranaense também havia registrado uma média de 19.800 em 2013, enquanto Savador foi a única cidade que apresentou piora na média, já que havia registrado 20.400 situações de anda e para há três anos.

Segundo o consultor de trânsito Flamínio Fichmann, “o conceito de congestionamento está vinculado ao de capacidade da via e de nível de serviço”. “São Paulo aumentou de 14 mil para 17 mil quilômetros a extensão de vias pavimentadas na cidade desde a década de 80, enquanto que a frota passou de 1,6 milhão para 7,7 milhões de veículos no mesmo período – ou seja, o espaço físico foi ampliado em 21% para atender a uma demanda que cresceu 480%”, acrescenta o especialista.

Além do tempo que perdemos nos congestionamentos, o anda e para é bem prejudicial para os carros. ““O movimento de anda e para resulta no desgaste de diversos componentes do motor do carro e até 75% deste desgaste ocorre no momento em que o carro dá a partida”, explica Silvio Sumioshi, professor da FEI (Faculdade de Engenharia Industrial). “O carro faz um esforço muito grande a cada vez que para e vai sair novamente. Assim, é necessária uma boa lubrificação do motor para evitar o desgaste de componentes essenciais para o funcionamento do conjunto, como a parede do cilindro, as válvulas, além do virabrequim.”, conclui o engenheiro.

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |