Nos bastidores, Renault e Fiat travavam uma disputa acirrada sobre quem iria lançar primeiro sua picape nem tão pequena, nem tão média, que sem dúvida nenhuma inauguram um novo nicho nesse segmento. Eis que a marca francesa saiu na frente e sua Duster Oroch vendeu 3.274 unidades de setembro a dezembro de 2015, um número que não deixa de ser bom.

A partir da próxima semana é a vez da Fiat contra-atacar com a Toro, sua “SUP” ou Sport Utility Pick-up, que promete se destacar frente à rival ao oferecer opções de motor diesel, câmbio automático, tração 4x4 e o principal: conforto e dirigibilidade de um automóvel. Mas será que a história é assim? Será que Fiat Toro e Renault Duster Oroch são mesmo tão inovadoras? Uma olhadinha para o passado mostra que a dupla nacional está longe de ser tão original e o Autoo preparou um especial para você que conta essa história.

Acionando a máquina do tempo e voltando várias décadas para o passado, em 1957 surge aquela que é considerada a “mãe” de todas as picapes derivadas de carros de passeio: a Ford Ranchero. Produzida de 1957 a 1979 ele seguramente deixou sua marca na história. Com cabine simples, o Ranchero de destacava pelo motorzão 7.0 V8 de 365 cv.

Seu rival à época foi a Chevrolet El Camino, lançada em 1959 e de proposta bem semelhante. A primeira geração ficou em linha apenas dois anos, sendo que a segunda em 1964 com uma nova plataforma. Cheia de estilo, a El Camino foi uma estrela de cinema requisitada, figurando na série That 70s Show e nos filmes Velozes e Furiosos 4, A Morte pede Carona, dentre outros.

 
 
Chevrolet El Camino
 
Chevrolet El Camino
Chevrolet El Camino
Chevrolet El Camino
 
Chevrolet El Camino
Chevrolet El Camino
Ford Ranchero
 
Ford Ranchero
Ford Ranchero
Ford Ranchero
 
Ford Ranchero
Ford Ranchero
Ford Ranchero
 
Ford Ranchero
Ford Ranchero
Subaru Baja
 
Subaru Baja
Subaru Baja
Subaru Baja
 
Subaru Baja
Subaru Baja
Subaru Baja
 
Subaru Baja
Subaru Baja
Peugeot 504
 
Peugeot 504
Peugeot 504
Holden Ute
 
Holden Ute
Holden Ute
Holden Ute
 
Holden Ute
Holden Ute
Holden Ute
 
Holden Ute
Holden Ute
Holden Ute
 
Holden Ute
Holden Ute
 
 

Partindo para os anos 2000, a japonesa Subaru, tradicional por seus modelos com tração integral e esportivos como o WRX STI, também deixou sua marca na categoria. Em 2002 a empresa surpreendeu ao lançar o Baja, um modelo de proposta bem semelhante ao que Oroch e Toro ambicionam entregar.

Utilizando como base o Legacy da época, a picape tinha 4,90 m de comprimento, tamanho semelhante ao da Toro, e contava com motor 2.5 turbo de 210 cv. A aceitação do Baja, contudo, ficou bem longe do que a Subaru projetava. A fabricante queria comercializar cerca de 24 mil unidades por ano, porém apenas 30 mil ganharam as ruas em quatro anos e meio de produção. Com isso, ela saiu de linha em 2006, mas deixou sua marca graças ao peculiar projeto.

Ainda usando carros de passeio como base, a australiana Holden obteve grande sucesso em seu mercado local com os “Utes”, uma abreviação para “utility” ou “coupé utility”. A admiração por esses modelos é tamanha que existem até mesmo alguns eventos no país que destacam a customização e preparação desses modelos, como o "Ute musters". A Holden, que é o braço da General Motors no país dos cangurus, utiliza como base o Commodore para a fabricação do Ute. O modelo nada mais é do que o nosso velho conhecido Omega, que deixou de ser importado ao país em 2012.

Modelos como o Holden Ute ostentam uma proposta bem mais esportiva, oferecendo apenas cabine simples e passando longe do uso como carro de trabalho, mas é dos Utes que podemos tirar uma lição para os projetos de Oroch e Toro: a importância do visual bem trabalhado (leia-se belo e arrojado) para conquistar clientes, em especial o público jovem. Atualmente o Holden Ute é oferecido na Austrália com motores 3.6 V6 e 6.2 V8. 

Por mais que Toro e Oroch façam bem aos olhos, há de chegar um dia em que você vai precisar levar uma mudança ou o piso para a reforma da casa e oferecer uma boa capacidade de carga torna-se crucial. Isso nos lembra de um modelo que conquistou seu espaço no Brasil, o Peugeot 504.

Com capacidade para transportar 1.300 kg na caçamba e motor 2.3 diesel, a picape da marca francesa foi comercializada por aqui entre 1992 e 1999 e se destacava por oferecer um conjunto bem mais parrudo que Volkswagen Saveiro e companhia. Como se não bastasse, a tração traseira também era um diferencial.

Força, estilo, conforto, capacidade de carga... os atributos comuns a Oroch e Toro já mostraram que fizeram sucesso no passado. A receita, adaptada ao século XXI, promete ser uma cartada de sucesso daqui para a frente. E essa nova história a gente vai contar para você a partir da próxima semana. 

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |