Quando foi apresentado ao mundo neste ano durante o Salão de Detroit, o BMW M2 foi apontado como o sucessor em termos de proposta do 2002 Turbo, um dos modelos mais emblemáticos da marca alemã. E o AUTOO pode afirmar: o M2 prova na pista que ele é digno dessa comparação e está à altura do sedã dos anos 1970.

O que faz do M2 tão especial? É claro que a conhecida receita do motor 6 cilindros em linha, que no cupê entrega 370 cv e até 50,9 kgfm de torque com o modo Overboost ativado, ajuda bem, mas são as excelentes reações ao volante do M2 que o tornam um esportivo sublime.

Projetado de forma independente pela divisão esportiva da BMW, o M2 conta com uma estrutura bem mais aprimorada em relação ao Série 2 convencional. Segundo a equipe da Motorsport, os componentes do chassi e os sistemas de controle são integrados de uma forma especial para colaborar com a rigidez torcional e as melhores respostas dinâmicas apuradas que o compacto entrega. Leve para quem o conduz ou pilota, o M2 impressiona pelo acerto irretocável do conjunto. A tração somente nas rodas traseiras traz aquele prazer a mais na hora de encarar as curvas de uma pista, uma pena que até mesmo a BMW parece estar decidida a abrir mão dessa configuração tão especial em seus próximos modelos de entrada.  

 

BMW M2 Coupé

  • Resumo

    Preço

    R$ 379.950

    Categoria

    Esportivo compacto

    Rivais

    Mercedes-AMG A 45, Audi RS 3 Sportback

    Vendas em 2015

    Estreia em 2016

  • Mecânica

    Motor

    3.0 6 cilindros em linha turbo

    Potência

    370 cv a 6.500 rpm

    Torque

    47,4 kgfm a 1.400 rpm (50,9 kgfm na função Overboost)

    Transmissão

    dupla embreagem, 7 marchas

  • Dimensões

    Medidas

    4,46 m de comprimento, 1,60 m de largura, 1,41 m de altura e 2,69 m de entre-eixos

    Peso

    1.495 kg

    Porta-malas

    390 litros

 

Uma vantagem de um carro como o M2, que não precisa ser barato, abre espaço para que técnicos e engenheiros trabalhem com uma série de componentes para torná-lo um esportivo e tanto. O diferencial “Active M” conta com um dispositivo eletrônico que ajuda a reduzir a diferença de rotação entre as rodas traseiras. A direção “M Servotronic” é progressiva e ajusta os comandos de acordo com a velocidade do carro, enquanto os freios são especiais para lidar com o alto desempenho do cupê. Como era de se esperar em um carro com essa proposta, o controle de estabilidade também recebe uma programação mais “relaxada”, que deixa o carro mais nas mãos do motorista para aqueles momentos em que a ideia é deixar a tecnologia um pouco de lado.

O formato clássico da carroceria, o tamanho equilibrado e até mesmo a escolha das cores, com destaque para o metálico Azul Long Beach das fotos, mostram o cuidado envolvido na concepção do M2. Não é à toa que ele vai disputar com o M3 o posto de carro mais vendido da divisão M por aqui. Para os clientes da marca, seguramente optar entre um ou outro é um exercício que levará muito tempo... Uma doce dúvida.
Indo para a parte prática do M2, apesar de contar com um porta-malas razoável para um compacto, esqueça a ideia de colocar duas pessoas no banco traseiro. Até mesmo o acesso difícil à segunda fileira de assentos parece ser proposital. No máximo uma sortuda criança na cadeirinha se sentiria confortável por ali.

Já o acabamento interno, uma obrigação em um carro de quase R$ 400 mil, é exemplar. Percorrendo os olhos é possível encontrar elementos de fibra de carbono e os bancos esportivos contam com costuras azuis além do logotipo M gravado nos encostos. Por cima do painel, a tela da central multimídia de 8,8” permite controlar todos os recursos de entretenimento e inclusive os serviços de telemática da BMW, que incluem um concierge virtual e até assistência em caso de emergência. Por se tratar de uma versão topo de linha, o ajuste elétrico dos bancos e o sistema de som de alta fidelidade projetado pela Harman Kardon com 360W fazem a diferença.

Aliás, por falar em som, talvez um ronco mais encorpado não cairia nada mal ao M2, até mesmo para fazer coro à esportividade que suas rodas de liga leve aro 19” e as duas ponteiras duplas do escapamento sugerem.

Outra característica que torna o M2 especial é que ele é um dos poucos esportivos que fazem questão de mostrar um temperamento agressivo. Como os mais de 50 kgfm de torque estão disponíveis desde 1.400 rpm, o cupê acelera muito rápido quando você quer. A transmissão de dupla embreagem lida bem com esse mar de força e ajuda o M2 a atingir 100 km/h em apenas 4,3 segundos. A velocidade máxima é limitada em 250 km/h.

Sintonizado com os tempos de combustível caro e cada vez mais escasso, o M2 não deixa de ajudar o meio-ambiente ao contar com start-stop e uma programação bem mais mansa da transmissão quando você não quer andar rápido. Não fosse a suspensão mais rígida e um incômodo que as rodas muito grandes podem causar ao enfrentar os buracos de nossas vias, o M2 é um carro que encara sem problema nenhum os afazeres diários. Seguramente a ida ao trabalho será até mais prazerosa. Um tipo raro de esportivo, que combina ótima condução em um conjunto sem exageros, o M2 tem tudo para repetir o feito do 2002 Turbo e tornar-se um clássico dentro da gama BMW. 

 
 
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
BMW M2 2017
BMW M2 2017
 
 

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |