As peruas (ou station wagons) viviam tranquilas até o surgimento das minivans no começo dos anos 2000. Nesta cadeia predatória, agora as minivans perderam espaço para os SUVs e, até agora, o domínio é deles.

Na contramão dessa tendência, a Citroën apresentou nesta semana a nova geração da C4 Picasso, minivan de porte médio e que chega com preço inicial de R$ 110,9 mil, e Grand C4 Picasso, de R$ 120,9 mil. Ele já tinha dado as caras por aqui durante o Salão do Automóvel e, depois de um ano, chega oficialmente ao país, pronta para vender, segundo a marca, 850 unidades por ano.

Trata-se da 3ª geração do modelo familiar. A primeira foi a Xsara Picasso, lançada em 1999 e que chegou a ser produzida no Brasil entre 2001 e 2012. Quando o C4 assumiu o lugar do Xsara, a Citroën mudou o nome da minivan para C4 Picasso e acrescentou a versão Grand C4 Picasso, isso em 2006. Sete anos depois, foi a vez da atual geração ser apresentada na Europa, mas que só agora chega ao país.

Um pé no futuro

Inegável olhar para a minivan e não ver algum modelo futurista. Como tradição da marca francesa, o desenho não tem nada de tradicional. Seja pelos faróis dianteiros, com xenon direcional, e as luzes diurnas separados e em posições nada convencionais ou pela lanterna traseira com LEDs, não tem como não notar o C4 Picasso.

A diferença entre o C4 Picasso e o Grand C4 Picasso está além da capacidade de passageiros, com cinco e sete lugares respectivamente. Além do maior entre-eixos e comprimento, o desenho dianteiro é menos esportivo na Grand, assim como a lanterna traseira diferente.

Embaixo do capô, finalmente a minivan substituiu o arcaico 2.0 pelo motor 1.6 turbo com injeção direta, o THP, ligado ao câmbio automático de seis marchas. Os 165 cv e os 24,5 kgfm de torque entre 1.400 e 4.000 rpm, garantem agilidade na cidade, nas arrancadas, e na estrada, sem dificuldade para andar nos 120 km/h e fazer ultrapassagens mesmo carregado. O câmbio, com respostas rápidas e suaves, ainda tem opção de troca sequencial por borboletas no volante.

Sai de mim, má fama

Um ponto que a Citroën tem melhorado com o passar do tempo é a suspensão de seus carros. Se antes eram conhecidas pelo barulho e batidas secas, a nova plataforma do Picasso trouxe uma calibração, que mesmo mais voltada ao conforto, deixou a minivan estável, e sem pancadas, ao menos durante o nosso teste.

Por dentro, espaço para os cinco passageiros. Na Grand, a última fileira sofre um pouco mais. No porta-malas de 537 l e 704 l, a ampla abertura facilita o acesso, assim como a tampa automática. Saídas de ar-condicionado, com regulagem individual, é um ponto interessante do modelo. Além do mais, a grande área envidraçada colabora na sensação de conforto.

A proposta da Citroën com a linha C4 Picasso é oferecer uma opção mais completa e moderna para os SUVs. Na lista de equipamentos dos modelos básicos, chamada de Seduction, se destacam a tela de 7” sensível ao toque multimídia, que controle desde o som, GPS, até o ar-condicionado, bancos individuais com massageador nos dianteiros e controles de tração, estabilidade, hill holder e freio de mão eletrônico. Nas versões Intensive (por R$ 7 mil a mais) o painel recebe uma tela de 12”, que abriga velocímetro e GPS, computador de bordo e opção de imagem personalizável, câmera de ré com 360º. Como opcional, teto-solar panorâmico e park assist.

Com preço competitivo, bom espaço interno e pacote de equipamentos, o C4 Picasso pode ser uma opção para quem olha pro SUV só como mais um tipo de carro e não faz questão de ter o segmento da moda na garagem.

 
 
Novo C4 Picasso: Citroën mantém tradição no segmento de minivans Novo C4 Picasso: Citroën mantém tradição no segmento de minivans
Nova geração foi lançada na Europa em 2013 Nova geração foi lançada na Europa em 2013
Painel continua central Painel continua central
Ao contrário da primeira geração, minivan tem conta-giros Ao contrário da primeira geração, minivan tem conta-giros
C4 Picasso chega ao Brasil em versão única de motor mas dois acabamentos C4 Picasso chega ao Brasil em versão única de motor mas dois acabamentos
Reparem na ausência de manopla de câmbio no console central Reparem na ausência de manopla de câmbio no console central
Espaço interno continua sendo um ponto forte Espaço interno continua sendo um ponto forte
Porta-malas leva 537 litros na configuração normal Porta-malas leva 537 litros na configuração normal
C4 Picasso como carro de fim de semana C4 Picasso como carro de fim de semana
Mesinha retrátil é outra tradição do Citroën Mesinha retrátil é outra tradição do Citroën
Sistema de navegação da C4 Picasso Sistema de navegação da C4 Picasso
Faróis principais ficam na parte inferior Faróis principais ficam na parte inferior
O painel principal é todo digital O painel principal é todo digital
Câmera externa do C4 Picasso Câmera externa do C4 Picasso
Grand C4 Picasso (em primeiro plano) e C4 Picasso: segmento encolhido Grand C4 Picasso (em primeiro plano) e C4 Picasso: segmento encolhido
Grand C4 Picasso pode levar 7 passageiros Grand C4 Picasso pode levar 7 passageiros
Volante multifunção do C4 Picasso Volante multifunção do C4 Picasso
Bancos possuem extensor para maior conforto das pernas Bancos possuem extensor para maior conforto das pernas
 
 

Redação |