Maior chinesa no Brasil, a Chery continua com sua ambiciosa estratégia, embora ainda cometa deslizes em seu planejamento. Depois de anunciar a construção de uma fábrica em Jacareí, no interior de São Paulo, a montadora revelou ontem que terá o primeiro carro chinês flex do mundo, o Fulwin.

Compacto com versões hatch e sedã e motor 1.5, o modelo será lançado em abril do ano que vem. Dois anos depois, ele será fabricado na planta brasileira juntamente com o S18, sucessor do pequenino QQ.

Por falar em QQ, o carro, que pode se transformar no mais barato modelo à venda no Brasil (R$ 22.900), atrasou novamente. Agora a previsão de lançamento ficou para março de 2011. Segundo Luis Curi, presidente da Chery, foi um problema do ano-modelo do carro que chegaria velho ao mercado.

Curi também confirmou a criação de um centro de desenvolvimento de veículos no país em lugar ainda não definido. Além de contribuir para a adaptação dos carros chineses ao gosto do brasileiro, a unidade terá a missão de projetar novos utilitários que a marca planeja lançar no Brasil nos próximos anos.

Em 2011 a Chery quer vender 36.000 unidades ou cerca de 1% de participação no mercado geral. Mas em 2013, quando a fábrica brasileira estiver operacional, essa meta subirá para 3% do total ou 150.000 veículos por ano, um volume superior ao que a Honda atingiu em 2009 quando terminou em 5º lugar no ranking.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/