São raros os modelos mexicanos que não fazem um bom papel no Brasil. A diferença de custo de produção no país da tequila é tamanha que muitos carros custam a metade do preço em relação ao nosso mercado. Por isso, mesmo não tão baratos para nosso bolso, eles ainda saem mais em conta que seus pares nacionais.

A Chevrolet experimente esse gostinho com o Captiva. O crossover é fabricado em Ramos Arizpe primeiramente como Saturn Vue e depois passou a levar a gravatinha da Chevrolet tanto no mercado mexicano quanto no Brasil. O fechamento futuro da marca Saturn, no entanto, põe em xeque a existência do modelo. Será que terá demanda suficiente sem os Estados Unidos como principal destino?

Enquanto isso não se define, o Captiva faz boa carreira aqui e agora chega à linha 2010. As novidades não chegam a ser tantas. São duas novas cores – cinza Cyber e branco Ice, esta última apenas para as versões V6 que também contam com rodas de liga leve de 17 polegadas com novo desenho. Branco, aliás, que anda em alta na opinião das montadoras, mesmo com a natural associação com os táxis paulistanos, o maior mercado do país. Lá fora, a cor básica faz sucesso merecido.

O Captiva FWD, com tração dianteira, também passa a trazer bancos de couro, uma correção necessária num modelo que custa mais de R$ 100 mil.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |