Ele certamente será um dos modelos mais globais da General Motors num futuro breve – até mesmo o Brasil o verá. O sedã Cruze, nascido nas dependências da subsidiária coreana Daewoo, se espalha pelo mundo e acaba de chegar aos Estados Unidos.

Com o mercado abalado pela crise financeira e pela falta de veículos econômicos e modernos, o Cruze caiu como uma luva para a GM, mas só chegará ao mercado em julho de 2010 – até lá a montadora finaliza a linha de montagem no estado de Ohio, onde o sedã será produzido.

Enquanto isso, a Chevrolet aguça a curiosidade ao mostrar o Cruze no Salão de Los Angeles nos próximos dias. Disponível em três níveis de acabamento – LS, LT e LTZ -, o sedã terá dois motores de quatro cilindros, um Ecotec 1.4 litro turboalimentado de 138 cv, e um 1.8 aspirado. As opções de câmbio são o manual e o automático, ambos com seis marchas.

A GM promete fazer sucesso com o Cruze: sua construção será tão esmerada que os painéis externos terão no máximo 3 mm de distância uns dos outros. Segundo ela, o sedã tem mais espaço tanto para passageiros quanto para bagagem se comparado ao Civic e o Corolla, os líderes do segmento lá – e aqui também. Ou seja, quando o Cruze chegar ao Brasil, dentro de no máximo dois anos, já se imagina com quem ele mexerá.

Ricardo Meier

Ricardo Meier |