A China manteve o primeiro lugar em vendas de automóveis e comerciais leves no mundo em 2010. Dados preliminares da associação de fabricantes do país (CAAM) apontaram um total de 18,06 milhões de veículos, uma expansão impressionante de 33% em relação a 2009 quando 13,8 milhões de unidades haviam sido comercializadas.

Os Estados Unidos ficaram em segundo com 11,6 milhões de vendas, revertendo quedas consecutivas dos anos anteriores. Apesar disso, o crescimento foi pequeno – apenas 11%.

Atrás deles permanece o Japão, um dos maiores produtos do mundo e que possui uma peculiaridade em seu mercado, os minicarros com motores abaixo de 600 cc. Dados não consolidados apontam um total de 4,96 milhões de veículos vendidos em 2010, dos quais 3,2 milhões se referem aos modelos acima de 600 cc.

Como previsto durante o ano, o Brasil deverá confirmar o posto de quarto maior mercado de veículos do mundo, superando a Alemanha que no ano passado não contou com os incentivos oferecidos pelo governo que salvaram as montadoras em 2009. Com 3,38 milhões de veículos, nosso país emplacou cerca de 200 mil unidades a mais que a nação europeia.

Por pouco tempo

A posição privilegiada do Brasil em relação aos outros mercados não deve durar muito. Além da recuperação gradual de países europeus como França e Itália e, principalmente, a popularização dos veículos automotores na Índia devem recolocar nosso mercado numa situação mais realista, como ocorria antes da crise financeira de 2008. A alta carga tributária imposta aos automóveis vendidos aqui, uma das maiores do mundo, impede que a demanda seja suprida, apesar da evolução constante nas vendas.

Enquanto um modelo como o Honda Civic, considerado compacto nos Estados Unidos e na Europa, custa cerca de US$ 18 mil, aqui seu preço é equivalente a quase US$ 40 mil, onde é tratado como carro de luxo.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/