Desde o fim de linha do 75, em 1992, a Alfa Romeo estava sem um representante no segmento de sedãs com apelo esportivo. Mas agora, a montadora italiana volta à ativa com o novo Giulia, apresentado de forma oficial nesta quarta-feira, 24, dia em que a mítica marca comemorou seus 105 anos. O novo modelo chegará ao mercado nos próximos meses para fazer frente aos alemães Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C, assumindo o papel de marca premium do grupo FCA.

O renascimento da Alfa Romeo sempre foi um objetivo de Sergio Marchionne, o chefão do grupo, que agora vira realidade. Segundo apurou o AUTOO, depois de colocar a Jeep em evidência agora será a vez de a Alfa ganhar os holofotes e o Giulia é o primeiro passo dessa estratégia.

O novo sedã atrai logo de cara pelo visual bastante agressivo. A dianteira é marcada pelos faróis afilados, que ostentam xênon e LEDs, e a característica grade de formato triangular dos modelos da fabricante, além do para-choque com grandes entradas de ar. Nas laterais, o sedã lembra o Série 3, por conta do formato das janelas e dos vincos na lataria. Já na traseira, há lanternas em LED que invadem a tampa do porta-malas e as laterais. No modelo Quadrifoglio, que ilustra as imagens, há um apelo mais esportivo, com spoilers, saias laterais, rodas enormes, aerofólio traseiro e duas saídas duplas de escape.

Motor by Ferrari

Imagens do interior não foram divulgadas, mas a marca promete um volante de dimensões reduzidas e materiais de alta qualidade, o que inclui fibra de carbono e madeira. O motor que equipa o sedã italiano é um V6 turbocharged de 3.0 litros, que rende até 510 cavalos de potência, com tecnologia inspirada na Ferrari. O conjunto oferece ainda uma “surpreendente eficiência de combustível e um sistema de desativação de cilindros controlado eletronicamente”. De acordo com a Alfa Romeo, o modelo acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,9 segundos.A tração do Giulia é traseira, mas a Alfa oferecerá sistema de tração integral como opcional.

O Alfa Romeo Giulia oferece distribuição de peso de 50/50. O peso do sedã não foi especificado, mas a marca disse que o modelo usa materiais ultraleves, como fibra de carbono, alumínio e composto de alumínio e plástico, e fala em uma “melhor relação peso-potência”, de algo em torno de 3 kg/cv. Logo, dá para imaginar algo em torno de 1.530 kg. Nos demais destaques, o Giulia dispõe de sistema de vetorização de torque e tecnologia Active Aero Splitter, capaz de gerenciar a entrada de ar pelas grades frontais, melhorando a aerodinâmica do carro. 

SUV Alfa em breve

A Alfa deve expandir suas vendas na Europa e também nos Estados Unidos, antes de se expandir por outros mercados. Para isso, o Giulia ganhará a companhia de um SUV derivado da sua plataforma, entre outro modelos em desenvolvimento.

Sobre o Brasil, nenhuma novidade no curto prazo, mas é natural esperar por um lançamento em nosso país, assim que a marca esteja estabelecida em outros locais com maior perspectiva de vendas.

Para marcar a data, a FCA também inaugurou um belo museu em Arese, próximo a Milão, com modelos recentes e históricos. Se depender de Marchionne, o museu ganhará muito mais representantes no futuro.

 
 
Alfa Romeo Giulia Alfa Romeo Giulia
Alfa Romeo Giulia Alfa Romeo Giulia
Alfa Romeo Giulia Alfa Romeo Giulia
Museu da Alfa Romeo Museu da Alfa Romeo
Museu da Alfa Romeo Museu da Alfa Romeo
Museu da Alfa Romeo Museu da Alfa Romeo
Museu da Alfa Romeo Museu da Alfa Romeo
Museu Máquina do Tempo, da Alfa Romeo Museu Máquina do Tempo, da Alfa Romeo
Museu Máquina do Tempo, da Alfa Romeo Museu Máquina do Tempo, da Alfa Romeo
 
 
Redação

Redação |