Apesar de ter mantido a Opel dentro de seu grupo, a General Motors sabe que a base para os próximos lançamentos da montadora no mundo, sobretudo nos países em desenvolvimento como o Brasil está na Coréia do Sul.

Lá a GM investe na subsidiária Daewoo, que tem desenvolvido vários modelos com características como design moderno, robustez e, principalmente, simplicidade e custo baixo, assim como seus rivais coreanos e mesmo japoneses. Captiva e Spark, por exemplo, são veículos nascidos no país asiático e que hoje são vendidos em várias partes do globo.

Nessa estratégia, o Cruze, também conhecido como Daewoo Lacetti, tem papel fundamental. É ele que assumiu o posto de carro médio mundial da Chevrolet. Na versão sedã, o Cruze já roda na Europa, Oceania, Ásia e, em 2010, também estará nos Estados Unidos – a versão americana será mostrada nos próximos dias.

O Brasil também deve ter o Cruze, que aqui tomará o lugar do Vectra e enfrentará em condições mais favoráveis o Civic e o Corolla, os líderes entre os sedãs. Mas há quem diga que a proposta do novo Chevrolet é maior. Uma versão hatch é aguardada para breve e deve ficar com o visual semelhante ao mostrado nas imagens da galeria.

O Cruze se beneficiarã do entre eixos longo do sedã e do bom nível de equipamentos para enfrentar aqui o Hyundai i30, o Citroën C4 e os novos hatches preparados por Volkswagen (talvez o Golf VI) e Fiat – no caso, o Bravo.

Com a mudança da estrutura da GM no mundo – o Brasil responde agora para a China, por exemplo -, os planos de produção do Cruze estão indefinidos. Até pouco tempo atrás, era dado como certo que o México fabricaria o modelo em ambas as versões. Agora já se fala até no Brasil produzi-lo, o que seria interessante do ponto de vista de empregos.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |