Os habituais votos de feliz Ano Novo e a renovada esperança de um caminho de sucesso pela frente não foram suficientes para o Xsara Picasso, também. Depois do C3, a Citroën interrompeu a produção da minivan na Europa pelo mesmo motivo que levou o hatch ao fim: as novas regras do Euro V exigiriam mudanças drásticas em seus motores, que não atendem às novas exigências. Na visão da indústria, vale a pena interromper o modelo – ainda mais no caso da Citroën, que oferece no segmento C4 Picasso e Grand C4 Picasso.

No Brasil, onde continua em produção, a Xsara Picasso fechou 2010 com 7.058 unidades comercializadas, atrás das 9.262 Zafiras vendidas no ano passado, mas à frente da Renault Scénic, que vendeu 1.537 naquele que foi seu último ano de vida. A minivan parte de R$ 49.900 na configuração GLX 1.6.

Rodrigo Mora

|