SUVs estão na moda e se destacar nesse meio não é fácil. No patamar dos modelos de luxo cada marca faz o que está ao seu alcance para trazer mais gente para suas lojas, umas apostando em mais esportividade, outras em mais tecnologia embarcada e por aí vai. A saída da Volvo para o XC60, um de seus modelos mais vendidos por aqui, foi buscar uma alternativa bem interessante em sua prateleira de motores.

Com isso, a partir de agosto deste ano a Volvo oferece por aqui o SUV com o propulsor D5, um 2.4 de 5 cilindros turbodiesel com vigorosos 220 cv a 4.000 rpm e 44,9 kgfm de torque. O preço, como é peculiar em modelos movidos por esse combustível, é elevado e para estacionar um deles na garagem é preciso pagar R$ 224.950 na versão Kinetic ou R$ 241.950 na mais equipada Momentum, a escolhida pelo AUTOO para nosso teste.

Modelos com boa aceitação no Centro-Oeste e regiões mais afastadas, onde os veículos precisam entregar boa autonomia, o XC60 D5 é capaz de médias de 9,5 km/l na cidade e 12,4 km/l na estrada. Se associarmos esses bons números com o comportamento do motor, fica difícil não apontar a opção D5 como a mais interessante para o XC60. Com um funcionamento impensável para quem conheceu as velhas picapes a diesel dos anos 1980 e 1990, o 2.4 trabalha de forma impecável, sem vibrações e respostas lineares e progressivas. Não fosse pelo ruído característico você dificilmente iria julgar que está a bordo de um carro a diesel.

Mesmo que você more em uma capital, a vantagem de permanecer bem mais tempo sem ter que visitar o posto de combustível é uma perspectiva animadora, em especial considerando que SUVs do porte do XC60 quando movidos a gasolina não são conhecidos pelo consumo comedido. O mais interessante é que você não terá que abrir mão de desempenho a bordo do XC60 D5, o único na gama a contar com tração integral.

Segundo dados da Volvo, o XC60 a diesel acelera de 0 a 100 km/h em 8,2 segundos, um tempo muito bom considerando que estamos falando de um carro de 1.903 kg. Analisando esses dados fica clara a excelente jogada da equipe de engenheria da Volvo, que optou por extrair mais potência do que torque do propulsor 2.4, afinal não é comum um motor a diesel trabalhar em rotações na casa de 4.000 rpm, o que permite ao XC60 acelerações mais elásticas e bem agradáveis no uso urbano. O câmbio automático de 6 marchas, robusto e preciso nas trocas, trabalha de forma bem harmônica com o bloco D5.

Uma caracterísitica bem incomum do XC60 D5 – e que chamou muito a atenção durante nosso teste – foi o peso elevado da direção. Não se sabe porque a marca decidiu conferir ao volante tanta rigidez nas manobras, algo que até seria compreensível em um carro de proposta mais esportiva. Em um SUV que acaba sendo usado muito mais na cidade do que no campo, isso chega até a cansar em manobras ou quando você passa muito tempo conduzindo o XC60.

Na parte dinâmica, contudo, o XC60 é exemplar. Amparado pela tração integral, ele transmite uma boa sensação de estabilidade e controle nas curvas, só não convém abusar devido a carroceria mais alta.

Volvo XC60 D5 Momentum

  • Resumo

    Preço

    R$ 241.950

    Categoria

    SUV médio

    Rivais

    Land Rover Discovery Sport, Mercedes-Benz GLC, Audi Q5

    Vendas em 2015

    2.543 unidades

  • Mecânica

    Motor

    2.4 16V, turbodiesel, 5 cilindros

    Potência

    220 cv a 4.000 rpm

    Torque

    44,8 kgfm a 4.000 rpm

    Transmissão

    Automática, 6 marchas

  • Dimensões

    Medidas

    4,64 m de comprimento, 1,89 m de largura, 1,71 m de altura e 2,77 m de entre-eixos

    Peso

    1.903 kg

    Porta-malas

    495 litros

Na versão Momentum, como a avaliada aqui, o XC60 entrega o conforto que se espera de um carro de mais de R$ 200.000. Estão presentes também recursos como a central multimídia com navegador, câmera de ré, teto solar elétrico, faróis com iluminação por xenon, rodas de liga leve aro 18”, dentre outros recursos.

Apesar da boa qualidade de montagem e um elegante padrão de acabamento para o revestimento de bancos e laterais de porta, a cabine do XC60 mostra que precisa rever alguns conceitos e se atualizar o quanto antes. O console central, por exemplo, cheio de botões e teclas não condiz mais com a migração para telas sensíveis ao toque que é a tendência em especial no segmento de luxo.

Nesse ponto, olhar para o mercado e ver um Discovery Sport também a diesel e na mesma faixa de preço seguramente fará a balança pender para o peso do Land Rover. O Discovery Sport, que por enquanto é importado nas versões a diesel, fica devendo um pouco e potência (190 cv) e torque (43 kgfm), porém é um projeto bem mais atual que o XC60 e ainda tem a vantagem de acomodar 7 pessoas, algo que não conseguimos no Volvo. Mesmo assim não há do que reclamar do porta-malas de 495 litros do XC60 bem como o espaço interno, suficiente para quatro adultos com folga.

Um SUV de rodar sólido e confortável, bem característico dos carros da Volvo, o XC60 D5 Momentum agrada pelo vigor e as respostas generosas do 2.4 diesel, contudo falta ao SUV um visual mais arrojado para fazer frente a modelos como o já citado Discovery Sport ou até mesmo o Mercedes-Benz GLC. Se você não abre mão do motor a diesel e quer um modelo que concilie um temperamento mais agressivo, o XC60 D5 sem dúvida é o modelo mais indicado. Vale destacar que na linha 2017 a chegada do propulsor 2.0 a gasolina com turbo, compressor e 245 cv de potência na gama XC60 posiciona o SUV médio da Volvo com a gama de motores mais interessante do segmento.

 
 
Volvo XC60 2017
 
Volvo XC60 2017
Volvo XC60 2017
Volvo XC60 2017
 
Volvo XC60 2017
Volvo XC60 2017
Volvo XC60 2017
 
Volvo XC60 2017
Volvo XC60 2017
Volvo XC60 2017
 
Volvo XC60 2017
Volvo XC60 2017
Volvo XC60 2017
 
Volvo XC60 2017
Volvo XC60 2017
 
 

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |