De janeiro a agosto deste ano somente 183 unidades do Citroën C4 Picasso ganharam as ruas do país, uma presença de mercado inegavelmente discreta. Não é por acaso que a Citroën relutou em trazer o modelo para o Brasil. Lançado em 2013 na Europa, a minivan só chegou aqui há cerca de um ano e no Velho Continente, ao contrário do Brasil, conquistou um relativo sucesso nesses três anos de produção.

Se você está com o orçamento mais folgado e quer transportar sua família com conforto e direito a alguns mimos extras, o C4 Picasso é um modelo que vale a pena receber o seu dinheiro. Apesar da desvalorização que segue elevada, na casa de 12% apenas quando você retira o carro da concessionária, a minivan não deixa de oferecer bom custo-benefício.

Na versão de entrada Seduction ela parte de R$ 110.990, valor que sobe para R$ 117.990 na opção mais equipada Intensive, que acrescenta recursos como a câmera de ré, chave presencial com partida por botão, sensor de estacionamento traseiro, dentre outros. O AUTOO avaliou o modelo na versão Intensive com todos os opcionais disponíveis, um pacote de R$ 22.600 que eleva o preço final da C4 Picasso Intensive para R$ 140.500 (considerando uma cor sólida ou é necessário acrescentar mais R$ 1.340 por uma tonalidade metálica). Se você tem todo esse dinheiro disponível, é um investimento que vale a pena.

Além do revestimento interno de couro, a C4 Picasso mais completa conta com teto solar panorâmico, farois bixenon, tampa do porta-malas com acionamento elétrico, sistema de monitoramento por câmeras 360º e o “Pack Relax”, que acrescenta sistema de massagem para os bancos dianteiros e um ótimo apoio de perna com acionamento elétrico para o banco do passageiro dianteiro, muito bom para viagens mais longas. Além de tudo isso, o pacote de opcionais também conta com assistente de estacionamento, um recurso muito útil no uso urbano ainda mais se tratando de um carro com 4,42 m de comprimento e 1,82 m de largura, o que está longe de fazer da C4 Picasso um carro compacto. Basta acionar o sistema por meio de uma tecla no volante, acionar a seta para o lado da rua em que você deseja estacionar (direita ou esquerda) e o sistema se encarrega de calcular o espaço disponível e controlar o volante, cabendo a você apenas ir para frente ou para trás conforme ele informar.

Assim como na maioria dos carros franceses e até mesmo na primeira geração do C4 Picasso, a minivan segue um modelo bem lúdico. Além do teto solar panorâmico, a possibilidade de recolher o quebra-sol tanto no lado do motorista quanto do passageiro cria um ambiente bem iluminado e acolhedor. O excelente padrão de acabamento também merece destaque, bem como a qualidade de montagem geral da cabine. O apoio de cabeça modular nos bancos ajuda muito no conforto, bem como chama a atenção no habitáculo a presença de plásticos de bom aspecto visual e tátil.

Em um primeiro momento, o generoso painel de instrumentos na parte superior do painel, a tela da central multimídia e o volante de quatro raios cheio de comandos disponíveis impressiona quem assume o volante da C4 Picasso. Contudo, na medida em que você vai passando mais tempo na minivan você nota que todos os comandos são intuitivos e fáceis de usar. O recurso de monitoramento 360º, que funciona da mesma forma que o Around View no Nissan Kicks, por exemplo, ajuda bem quando você decide fazer alguma baliza sem acionar o park assist. O freio de estacionamento com acionamento elétrico também é uma conveniência interessante.

Mas de nada adiantaria em um carro de proposta claramente familiar oferecer bom acabamento e uma boa lista de equipamentos se não houver bom espaço para todo mundo lá dentro. E, nesse ponto, não há do que reclamar do C4 Picasso. Uma qualidade notada logo de cara vai para os assentos individuais na segunda fileira de bancos. Além de acomodar com mais conforto até três adultos, cada assento pode deslizar para frente com o objetivo de liberar mais espaço no porta-malas ou para que uma mãe possa ter maior contato com uma criança na cadeirinha. Os assentos traseiros também são reclináveis, aumentando o conforto em viagens mais longas.

Assim como na geração anterior, há uma boa profusão de porta-objetos por dentro da C4 Picasso. Logo entre os bancos dianteiros, um generoso console abriga até uma bolsa feminina e os passageiros na parte traseira contam até mesmo com pequenos porta-objetos no assoalho (que, por sinal, é plano para aumentar a área disponível para as pernas dos passageiros).

Com 537 litros de espaço para bagagens, o porta-malas acompanha a boa disposição da cabine e acomoda com folga um jogo de malas tradicional sobrando ainda espaço para algumas mochilas. Como não tem a limitação de um sedã, também é possível acomodar objetos mais altos sem muita dificuldade ou então rebater os três bancos traseiros e criar uma área para carga de fazer inveja a muita picape compacta. Primeiro modelo a contar com a mais recente plataforma modular da Peugeot Citroën, a C4 Picasso mostra como essa arquitetura foi bem planejada e fez bem ao modelo. 

 

Citroën C4 Picasso Intensive 1.6 THP

  • Resumo

    Preço

    R$ 117.990

    Categoria

    Familiar médio

    Rivais

    Mercedes-Benz Classe B, Volkswagen Golf Variant

    Vendas em 2015

    57 unidades

  • Mecânica

    Motor

    1.6 16V, turbo, gasolina

    Potência

    165 cv a 6.000 rpm

    Torque

    24,5 kgfm a 1.400 rpm

    Transmissão

    Automática, 6 marchas

  • Dimensões

    Medidas

    4,42 m de comprimento, 1,82 m de largura, 1,62 m de altura e 2,78 m de entre-eixos

    Peso

    1.405 kg

    Porta-malas

    537 litros

 

Outro ponto em que a C4 Picasso demostra uma evolução notável em relação à primeira geração diz respeito ao conjunto motor e câmbio. Antes equipada com um 2.0 16V trabalhando em conjunto com uma transmissão automática de 4 marchas, a nova C4 Picasso agora traz sob o capô o 1.6 THP, com turbo e injeção direta de gasolina, e a força gerada pelo propulsor chega às rodas dianteiras gerenciada pela caixa automática de 6 velocidades. 

Com isso, o C4 Picasso melhorou muito no que diz respeito ao consumo e desempenho, sendo capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos e alcançar parciais de 8,8 km/l na cidade e 11,1 km/l na estrada, números muito bons considerando o porte da C4 Picasso e seus 1.405 kg em ordem de marcha.

Ao volante da C4 Picasso é notório como a transmissão trabalha da forma mais econômica possível, executando de forma rápida a troca de marchas na faixa de giro mais baixa possível. Talvez um start-stop pudesse ajudar ainda mais a melhorar as médias de consumo da minivan, mas o recurso não está nos planos da Citroën pelo menos até o momento. De qualquer forma, se você quiser controlar com mais precisão as respostas do carro, é possível controlar o câmbio por meio de borboletas atrás do volante.

Sem qualquer pretensão esportiva, a C4 Picasso é um carro voltado muito mais para um bom passeio do que uma condução mais apressada. O motor 1.6 THP não vai deixá-lo (a) na mão em uma ultrapassagem, mas se você exagerar na velocidade em uma curva vai sentir como a carroceria mais alta (1,62 m) da minivan oscila para os lados. Segura, o modelo conta com os controles de tração e estabilidade para manter tudo em ordem e evitar qualquer sobressalto. Só a suspensão, por sua vez, sofre um pouco com a combinação entre as rodas de liga leve aro 17” e as péssimas condições de nosso asfalto.

Sem dúvida uma das melhores opções do mercado na faixa de R$ 100.000 a R$ 150.000, o Citroën C4 Picasso é um excelente modelo para quem busca espaço e conforto para a família, como uma dose extra de luxo e bom nível de equipamentos. Apesar de caro, vale a pena levar o pacote completo de opcionais, que ajuda a tornar a vida a bordo do modelo ainda melhor. Para as famílias mais numerosas, também existe a opção da Grand C4 Picasso, que acomoda até 7 pessoas e parte de R$ 120.900. Sem dúvida nenhuma, duas excelentes opções se você pode desembolsar essas cifras.

A elevada desvalorização que os carros franceses importados sofrem ainda é algo que não pode ser ignorado, logo, se você não tem tanta pressa, vale a pena esperar um ou dois anos e partir para uma C4 Picasso seminova, dessa forma já amortizando a maior perda de valor. Os custos de manutenção são um pouco maiores do que a média, porém coerentes com um carro de preço acima de R$ 100.000.

 
 
Citroën C4 Picasso 2016
 
Citroën C4 Picasso 2016
Citroën C4 Picasso 2016
Citroën C4 Picasso 2016
 
Citroën C4 Picasso 2016
Citroën C4 Picasso 2016
Citroën C4 Picasso 2016
 
Citroën C4 Picasso 2016
Citroën C4 Picasso 2016
Citroën C4 Picasso 2016
 
Citroën C4 Picasso 2016
Citroën C4 Picasso 2016
Citroën C4 Picasso 2016
 
Citroën C4 Picasso 2016
Citroën C4 Picasso 2016
 
 

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |