De olho no futuro dos automóveis, as empresas DeltaWing Technology Group e DHX Electric Machines, com sedes em Georgia e nos Estados Unidos, respectivamente, estão projetando novos motores elétricos, que prometem ser mais leves. De acordo com as marcas, o novo propulsor são 75% menores que as unidades equivalentes usadas atualmente nos carros, graças a melhorias de engenharia em gerenciamento de calor.

O projeto dos novos propulsores conta com uma nova tecnologia de resfriamento, que entrega potência elevada e alto torque. Ao contrário das unidades elétricas convencionais, onde os enrolamentos geram maior parte do calor, que é dissipado por meio do arrefecimento líquido ou a ar, um novo sistema batizado de Direct-Winding Heat Exchanger (DWHX) consegue, através de pequenos canais, remover o calor direto na fonte, reduzindo a resistência térmica e aumentando a eficiência.

Os motores elétricos que equipam os veículos trazem sistema de gestão de calor dentro de sua estrutura. E para se tornarem mais compactos, há perda na produção de torque em usos mais pesados. De acordo com a DHX, o projeto tem volume reduzido em até 75% sem perda de eficiência de gerenciamento térmico.

O motor DHX Falcon, fruto do projeto, pesa apenas 13,6 quilos e atinge densidades de potência de 120 cv por galão (25 kW por litro) e torque de 26,7 kgfm por galão (7,2 kgfm por litro).

Esses novos motores serão usados em diversos veículos, o que inclui desde pequenas scooters até veículos desenvolvidos para áreas urbanas congestionadas, sendo que um deles é um modelo desenvolvido pela DeltaWing, que promete ser bastante leve e deve usar motores elétricos ou um conjunto híbrido, com gás de alta eficiência, óleo diesel ou gás natural comprimido. 

Leonardo Andrade

|