O atual momento do mercado de SUVs se assemelha ao Campeonato Brasileiro de futebol, onde os times que estavam no topo no início da competição agora estão na zona intermediária, enquanto quem estava lá embaixo, de repente, iniciou uma escalada rumo às primeiras posições. É o caso do Volkswagen Tiguan e o Hyundai Tucson.

O SUV da montadora alemã, atualmente na 10ª posição entre os utilitários e crossovers, começou o ano com vendas pífias: em fevereiro, por exemplo, vendeu apenas 30 unidades. Espantada com tal desempenho, a VW baixou seu preço de entrada de R$ 124.190 para R$ 99.000 atuais. Deu resultado: o SUV alcançou o patamar das 200 unidades comercializadas, depois 300, 400, até que em outubro chegou a 767 emplacamentos.

Já o Tucson, outrora queridinho dos ex-donos de EcoSport, cai pelas tabelas. Ele ainda é o primeiro colocado, mas provavelmente essa situação não se repetirá em 2011. De junho até outubro, as vendas só caíram – dos 2.429 emplacamentos de janeiro, o SUV da Hyundai amargou no mês passado 1.457 vendas. Culpa, em parte, da chegada do ix35, que em outros países foi o substituto natural do Tucson.

Rodrigo Mora

|