Porsche 911 ou Maserati GranTurismo? Essa dúvida cruel pode ficar ainda pior com a chegada do Mercedes-Benz SLS AMG, que acaba de chegar ao Brasil a partir de US$ 360 000 – algo em torno de R$ 673 000 na cotação de hoje do dólar. Há também a versão Racer, por US$ 440 000 (R$ 822 000), incrementada com freios de cerâmica, bancos e volante de competição e acabamento interno e externo em fibra de carbono. Trata-se do modelo da Mercedes mais caro à venda no Brasil.

Não é só o motor 6.3 litros V8, de 571 cv de potência e 66,3 kgfm de torque, acoplado a um câmbio automatizado de sete marchas e dupla embreagem, que faz do SLS AMG um carro exclusivo e caro. Há nostalgia também no novo superesportivo alemão: sua inspiração e as “asas de gaivota” vêm do 300 SL, de 1954, conhecido como Gullwing. Segundo a Mercedes, o SLS AMG faz de 0 a 100 km/h em 3,8 segundos, alcançando a máxima de 317 km/h. Destaque para o eixo cardã, construído em fibra de carbono. As rodas são de aro 19 na frente e 20, atrás. 

De série, o SLS AMG traz ABS com distribuição de frenagem e oito airbags – dois na parte superior do painel, dois na parte inferior, um em cada porta e um em cada banco. Há também o sistema Race Start, que extrai o máximo de desempenho nas arrancadas. Completam o pacote computador de bordo, interior em couro bicolor, piloto automático e CD player com comandos no volante. A Mercedes avisa que, dependendo da configuração, o SLS AMG pode demorar até seis meses para ser entregue.

Rodrigo Mora

|