A Fiat ainda não divulgou a informação oficialmente, mas o site da marca já divulga duas novas versões do sedã Línea, lançado no mercado brasileiro há apenas sete meses. São LX e a HLX, com preços menores e também menos equipamentos, que substituem a versão de entrada do modelo, que não possuía designação.

A LX, a mais barata, custa R$ 53 990 com câmbio manual e R$ 56 800 com transmissão automatizada Dualogic. São cerca de R$ 3 500 a menos que a versão básica anterior, mas o cliente deixa de levar rodas de liga leve e ABS, que passa a ser opcional. O pacote é satisfatório, no entanto: inclui ar-condicionado, airbags frontais, direção hidráulica, travas e vidros dianteiros elétricos e computador de bordo. Há quem diga que essa versão será vendida mais para frotistas.

Já a HLX deve passar a ser mais vendida na linha. Isso porque seus preços, de R$ 56 550 (manual) e R$ 59 350 (Dualogic), são competitivos e o pacote perde poucos itens importantes. O ar-condicionado é manual e ela deixa de trazer sensor de estacionamento e piloto automático.

Quem optar por mais, terá ainda a versão Absolute com câmbio Dualogic e os itens acima por R$ 64 850, ou ir para o Linea T-Jet, com motor 1.4 Turbo e mais apelo esportivo por R$ 68 850. A mudança era prevista já que faz parte da estratégia da Fiat em primeiro colocar o Linea num patamar mais exclusivo – na época do lançamento, o carro custava tanto quanto um Civic ou Corolla – e agora aproximá-lo dos rivais mais baratos.

Até aqui, no entanto, o sedã tem vendido menos do que o esperado: nos melhores meses, ele chegou perto de mil unidades emplacadas e figura hoje em 5º lugar no ranking dos sedãs médios.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/