“O luxo todo que eu tenho é do dinheiro de vocês. Pagando preço 1.8 por um carro 1.6”, provocou a Nissan em seu comercial do Tiida hatch, que é comparado ao Focus. Não só o jingle, considerado ofensivo pela marca do oval azul, o filme também mostrava engenheiros da Ford vestidos como rappers americanos cercados por belas mulheres e artigos de luxo. O anúncio foi retirado do ar a pedido do Conar (Conselho Nacional de Autoregulamentação Publicitária) no dia 3 de março e agora virou caso de polícia.

A Ford do Brasil abriu processo criminal contra a Nissan na 1° Delegacia Regional de São José dos Pinhais (PR), cidade sede da marca japonesa no país em parceria com a Renault. Ambas as fabricantes, no entanto, ainda não comentam sobre o assunto. Ação acusa o presidente da Nissan, Christian Neunier, e diretores da marca japonesa de concorrência desleal, uso indevido de marca e ridicularização dos funcionários da Ford. No caso de derrota nos tribunais, além de pagar indenização a fabricante oriental pode ser obrigada a se retratar publicamente sobre o comercial banido.

E esse não foi o primeiro comercial da Nissan com referências aos concorrentes. Recentemente a marca rebateu o preço do Fiat Idea em detrimento da Livina com um personagem arremessando dinheiro para o alto. Outro caso foi o anúncio da picape Frontier, que ironizava as capacidades das rivais Toyota Hilux e Volkswagen Amarok novamente com um jingle, mas desta vez sertanejo.

Thiago Vinholes

|