A aparente aceitação de modelos mais modestos por parte dos consumidores norte-americanos, tem feito as montadoras do país mudar seus planos quanto ao tipo de veículo que lançarão daqui em diante. Carros como o Fiesta e o Polo, minúsculos para os padrões do mercado dos EUA, agora ficaram atraentes graças ao seu custo baixo de consumo e manutenção.

Os automóveis com maior potencial de migrar para o país são os europeus. Sofisticados e não tão pequenos, eles podem servir com veículos de trabalho deixando os gastões modelos locais para o fim de semana.

A Ford, por exemplo, trará não só o Fiesta como também o Focus de 3ª geração. E agora pensa também em vender por lá o Kuga, um crossover desenhado para a Europa e que usa a base do próprio Focus.

A principal razão, no entanto, tem a ver com o dólar. Como a moeda americana está muito barata, não só a venda do Kuga passou a ser viável como também a sua produção nos Estados Unidos - hoje o modelo é feito na Alemanha.

A pressão por isso também vem dos sindicatos que estão preocupados com o fechamento de várias fábricas no país.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/