Você imaginou que a grande estrela da Ford no Salão de Detroit seria o Mustang GT500? Se sim, errou. A menina dos olhos de quem passa pelo estande da companhia do oval azul é o novo Taurus 2010, que antecipa o visual que está sendo chamado de “pós-Kinetic”, ou seja, deveremos ver as linhas dele em outros modelos em breve.

A cara do automóvel conseguiu uma mistura muito agradável entre a modernidade já conhecida dos veículos europeus com uma robustez norte-americana na parte de trás do carrão. O interior leva um desenho moderno, mas que não destoa muito de outros modelos da marca, como o Fusion.

Por ter um preço um pouco mais salgado que as gerações anteriores, deverá concorrer com automóveis de um nível superior, ou seja, por mais que ajude nas vendas da marca, não deverá ser recordista como o bom e velho Taurus “do passado”.

Como se trata de um automóvel tradicional e ele está chegando a uma nova geração, nada mais justo que uma motorização que condiz com o que a marca quer mostrar ao seu público. Debaixo do capô está um poderoso V6 de 3.5 litros, capaz de desenvolver 263 cv de potência máxima. A Ford também planeja introduzir na gama o EcoBoost de 3.5 litros e 350 cv.

A tração pode ser tanto traseira quanto integral, ambas conectadas ao motor por uma caixa de câmbio automática de 6 velocidades. A transmissão também pode ser manual, o que, cá para nós, deixaria a dirigibilidade mais divertida.

Uma coisa é fato: o novo Taurus tem tudo para ser um sucesso de vendas (claro, longe do antigo), mas seu principal atributo deverá ser mesmo a utilização de uma nova filosofia da marca norte-americana para seus automóveis.

Redação

Redação |