Meses após ter sido apresentado no Salão de São Paulo, o novo Golf GTE começa a ser testado pela Volkswagen no território nacional. De acordo com a montadora, a ação reforça seu compromisso “em investir em tecnologias sustentáveis em todo o mundo”. Portanto, ao que tudo indica, o híbrido plug-in pode ser oferecido no mercado brasileiro em breve.

O Volkswagen Golf GTE é equipado com dois motores, sendo um 1.4 litro TSI a gasolina e outro elétrico, ambos capazes de desenvolver 204 cavalos de potência e 35,7 kgfm de torque. Somente com eletricidade, o hatch é capaz de alcançar velocidade máxima de 130 km/h, já com o sistema híbrido, este número salta para 222 km/h, neste caso com aceleração de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos.

O motor elétrico recebe energia de uma bateria de íons de lítio de alta voltagem com arrefecimento a líquido, que pode ser recarregada por meio de um soquete atrás do logotipo Volkswagen na grade dianteira. A recarga leva aproximadamente três horas e meia p em uma tomada convencional. Se a bateria for recarregada em uma estação de recarga, o tempo é reduzido para aproximadamente duas horas e meia.

A bateria pesa 120 kg, ou cerca de 8% dos 1.524 kg do peso total do carro. Junto a esses propulsores está o câmbio automático DSG de seis marchas com função Tiptronic, projetado especialmente para veículos híbridos.

 
 
Volkswagen Golf GTE Volkswagen Golf GTE
Volkswagen Golf GTE Volkswagen Golf GTE
Volkswagen Golf GTE Volkswagen Golf GTE
Volkswagen Golf GTE Volkswagen Golf GTE
Volkswagen Golf GTE Volkswagen Golf GTE
Volkswagen Golf GTE Volkswagen Golf GTE
 
 

O sistema híbrido inclui ainda componentes eletrônicos de força (que convertem a corrente contínua da bateria em corrente alternada para movimentar o motor) e um carregador. Um servo-freio eletromecânico e um compressor elétrico garantem a operação otimizada e energeticamente eficiente dos freios e ar-condicionado, especialmente quando o GTE é utilizado no modo de condição elétrico (“e-mode”).

O Golf híbrido pode ser utilizado em diversos modos, como no “e-mode”, que torna o modelo livre de emissões, e no “GTE”, que ativa o lado esportivo do carro.

Nos demais destaques, o Volkswagen Golf GTE traz sistema de entretenimento com monitor de autonomia (mostra a autonomia elétrica momentânea do carro e a possível autonomia adicional em potencial através da desativação de itens auxiliares que consomem eletricidade), mostrador de fluxo de energia (apresenta o fluxo de energia na aceleração e nas frenagens ou em desaceleração) e medidor de energia (mostra quanta energia do sistema está sendo utilizada no momento ou a intensidade da regeneração da bateria). 

Redação

Redação |