O tsunami que prejudicou seriamente as fábricas de carros no Japão em março passado também tem suas consequências no Brasil. Depois da Toyota, que paralisou suas fábricas na Argentina e Indaiatuba (SP) por falta de peças, agora foi a vez de sua conterrânea Honda anunciar uma medida de contenção. Em comunicado, a marca afirma que antecipará a parada tradicional de julho na planta de Sumaré (SP) para 23 de maio. O recesso está programado para terminar no dia 3 de junho.

Thiago Vinholes

|