Um possível problema no sistema de bolsas infláveis vem aumentando a dor de cabeça na Honda em doses periódicas nos Estados Unidos e, por consequência, em outros mercados.  A marca informa que existe o risco do airbag explodir de forma espontânea, podendo ferir gravemente o motorista. Por esse defeito, a marca foi obrigada a revisar uma série de modelos em 2008 e 2010, no qual o Brasil também foi incluído. Passado mais um ano, o recall vem a tona novamente com um chamado para mais de 833.000 automóveis no país.

Apesar de tantos carros, a marca afirma que há risco de acidente em apenas 2.430 deles. A Honda informa que são casos em que os dispositivos do airbag foram repostos após acidentes. No entanto, como a fabricante não conseguiu detectar em quais veículos o item foi substituído, optou-se pelo chamado de grandes proporções.

O recall da vez envolve os modelos Civic (fabricados entre 2001 e 2003), Accord (2001 a 2003), Odyssey (2002), CR-V (2002 a 2003) além das séries TL e CL da Acura (divisão de luxo da Honda), produzidos entre 2003 e 2003. A Honda, entretanto, afirma que se o proprietário de um desses carros comprovar que seu veículo nunca teve o airbag alterado ele poderá ficar de fora da revisão.

A divisão nacional da Honda ainda não divulgou se o novo recall efetuado nos EUA também afeta as unidades envolvidas comercializadas no Brasil na mesma época. Em informe da filial norte-americana, a empresa afirma que já houve seis ocorrências de acidentes relacionados ao defeito no airbag, sendo um com vítima fatal.

Thiago Vinholes

|