Para complementar a produção de Sumaré (SP), a Honda inaugurou no início desta semana uma nova linha de montagem em sua fábrica de Campana, na Argentina, que será responsável por fabricar o crossover compacto HR-V. A linha é fruto de um investimento de US$ 21 milhões (parte dos US$ 350 milhões aplicados na unidade fabril argentina).

A unidade fabril de Campana terá capacidade para produzir 15 mil unidades do Honda HR-V por ano, sendo que 65% deste volume será destinado para o Brasil – atualmente, a fábrica da marca no Brasil pode fabricar até 60 mil exemplares do utilitário-esportivo por ano.

Pelo menos agora, o Honda HR-V argentino está sendo fabricado através do modo CKD (Completely Knock-Down), que consiste na importação de partes do veículo e posterior montagem na planta em questão. Apenas 21% dos componentes do modelo terão origem “hermana”. No entanto, a marca está comprometida com o governo local para diminuir o volume de peças importadas. A presidente Cristina Kirchner marcou presença na cerimônia de inauguração da linha de montagem.

Devido a chegada do HR-V à linha de produção, o Honda City deixou de ser fabricado na Argentina. Segundo o presidente da Honda América do Sul, Isao Mizoguchi, essa troca foi realizada para “agregar valor e dar um salto de qualidade”. Com isso, o sedã compacto vai passar a ser exportado do Brasil para a Argentina.  

 
 
Honda HR-V 2016 Honda HR-V 2016
Honda HR-V 2016 Honda HR-V 2016
Honda HR-V: mais rival do ix35 que do EcoSport Honda HR-V: mais rival do ix35 que do EcoSport
Versões LX, embora mais acessíveis, não devem vender muito como o EX-L da foto Versões LX, embora mais acessíveis, não devem vender muito como o EX-L da foto
Interior tem acabamento melhor que o do Fit e City, seus irmãos Interior tem acabamento melhor que o do Fit e City, seus irmãos
Porta-malas espaçoso do HR-V o distancia do EcoSport Porta-malas espaçoso do HR-V o distancia do EcoSport
Honda HR-V 2016 Honda HR-V 2016
 
 
Redação

Redação |

Veja mais notícias da marca