Cada um a sua maneira, HR-V e Renegade têm brilhado num ano em que as vendas de automóveis novos só batem recordes negativos. Mas, afinal, o que eles têm de tão especial para vender bem?

iG convocou os dois SUVs compactos para analisá-los sob vários aspectos nessa série de matérias e vídeos que publicaremos nos próximos dias.

Elegemos as versões que devem responder pela maior parcelas da vendas, EX no caso do HR-V, e Longitude, no caso do Renegade. Elas custam parecido: enquanto o Honda sai por R$ 80,4 mil o Jeep custa R$ 80,9 mil, ou seja, apenas R$ 500 o separam. Ambos são equipados com câmbio automático (CVT no Honda) e motores 1.8 flex – de 140 cv no HR-V e de 132 cv no Jeep.

No capítulo de estreia, falamos do estilo, um dos pontos mais diferentes dos dois modelos. Embora tenham nascidos com uma proposta parecida, a de oferecer as vantagens dos utilitários esportivos, eles diferem na receita.

O Honda HR-V, por exemplo, é mais urbano e flerta com outros estilos como na caída da traseira, que lembra um cupê. Ele tem um formato mais esguio, com linha de cintura alta (quando as janelas escondem mais os ocupantes) e rodas aro 17 que dão o toque final no jeito off-road de ser.

Já o Renegade bebe na fonte do jipe em quase tudo. Sua carroceria é retangular com frente reta dominada pela grade com sete entradas, uma obrigação em todo o modelo da Jeep. O veículo é alto e encorpado a ponto de acharmos suas rodas aro 18 até pequenas para o tamanho do modelo.

Para defini-los em poucas palavras, o HR-V é um SUV mais esportivo que utilitário e o Renegade justamente o contrário, mas isso apenas no visual. Nos próximos capítulos, veremos como os dois se comportam na prática. 

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |

Veja mais notícias da marca