O mercado argentino ganhará independência do brasileiro em relação ao Honda City. Até então fabricadas na planta de Sumaré, no interior de São Paulo, as unidades destinadas à Argentina terão produção local a partir do 1º semestre de 2011. A fábrica de Campana, após dois anos de atraso, entrará em funcionamento, com capacidade para 30.000 carros por ano – montante bem inferior aos 150.000 exemplares que a planta brasileira produz anualmente.

O City argentino será um pouco diferente daquele comercializado aqui. A Honda, no entanto, ainda não divulgou quais serão as mudanças, que devem se concentrar em detalhes estéticos e uma gama diferenciada de motores. No Brasil, o City começou a ser vendido em julho de 2009, fechando o ano com 14.630 unidades comercializadas. Em 2010, até a 1ª quinzena de junho, já são 15.011 sedãs emplacados.

Rodrigo Mora

|