O NSX é até hoje o principal carro esportivo já produzido pela Honda. Lançado em 1990, o carro ficou famoso por ser uma opção com preço até certo ponto acessível para seu desempenho e, sobretudo por ter contado com o auxílio de Ayrton Senna em seu desenvolvimento. A produção do modelo foi encerrada em 2005 e desde então a marca japonesa nunca mais teve um representante de peso no segmento. Mas isso está prestes a mudar.

A segunda geração do NSX é esperada desde o final precoce de sua produção e muito se fala sobre o assunto nos últimos 5 anos, porém nada realmente concreto. Diferente das declarações de Takanobu Ito, presidente da Honda, à agência Automotive News. Ao periódico, o executivo da marca afirmou que um novo esportivo nos moldes do modelo do passado está nos planos da empresa para os próximos anos e ainda deixou escapar alguns detalhes.

Nada de motor V10, como já cogitado anteriormente, como uma forma de concorrer com o poderoso Lexus LFA, o supercarro da Toyota. O novo NSX, segundo Ito, trará soluções mecânicas mais eficientes. Uma possibilidade, conforme aponta a reportagem, é a configuração híbrida, com motor a explosão auxiliado por outro elétrico.

O primeiro NSX tinha motor 3.0 V6 de 270 cavalos de potência posicionado no meio do carro, configuração que proporciona maior estabilidade e melhor distribuição de peso. Não à toa, seu desempenho na época foi comparado ao de carros da Ferrari. Quando saiu de cena, o esportivo nipônico era equipado com o motor 3.2 V6 de 290 cv.

Thiago Vinholes

|