Sem muito alarde, a CAOA, importadora dos modelos coreanos da Hyundai, começou a vender a versão reestilizada do i30, que chega como linha 2016. O novo modelo segue o mesmo estilo da variante oferecida lá fora, com mudanças apenas na grade, que agora traz envolto cromado e quatro filetes horizontais. Além disso, o hatch traz uma nova gama de versões, com preços que chegam a passar a casa dos seis dígitos.

A versão mais em conta do “New i30” tem preço sugerido de R$ 85.990 e traz apenas itens essenciais para o segmento, como airbags frontais, sistema multimídia, controle de cruzeiro, volante com revestimento em couro, teto solar panorâmico, rodas de liga-leve de 17 polegadas, pedais em alumínio e direção Flex Steer com três modos (normal, comfort e sport).

Já o Hyundai New i30 Versão TOP, oferecido por R$ 98.990, há airbags laterais e de cortina, ar-condicionado de duas zonas, bancos revestidos em couro, vidros com fechamento por um toque, controle de estabilidade e de tração, encosto central deslizante, painel Supervision em LED TFT e sensor de chuva.

Por fim, a Série Limitada, versão mais cara da linha, adiciona LEDs diurnos nos faróis de neblina, bancos dianteiros com aquecimento e resfriamento, airbag de joelho para o motorista, faróis de xênon, freio de estacionamento eletrônico, lanternas traseiras em LED, retrovisor interno eletrocrômico, bancos com regulagens elétricas e abertura das portas e partida do motor sem chave (Smart Entry e Start Stop Button). O preço é exorbitante: R$ 105.990.

 
 
Hyundai i30 2016 Hyundai i30 2016
Hyundai i30 2016 Hyundai i30 2016
Hyundai i30 2016 Hyundai i30 2016
Hyundai i30 2016 Hyundai i30 2016
 
 

Nas três versões, o Hyundai i30 é equipado com o motor 1.8 litro de quatro cilindros, com 150 cavalos de potência a 6.500 rpm e 18,2 kgfm de torque a 4.700 giros que trabalha em conjunto com um câmbio automático de seis velocidades.

Importado e líder

A expectativa de vendas do hatch sul-coreano permanece modesta com essa faixa de preço. Sem condições de importar o modelo por um custo competitivo (graças aos impostos mais altos), a CAOA desistiu de brigar no pelotão da frente. Um cenário bem diferente de seis anos atrás quando a geração anterior chegou ao país com um preço imbatível, design atraente e um motor 2.0 potente. Na época, ele bateu seus rivais nacionais com margem e virou queridinho do público. Hoje, sem que exista uma linha de montagem nacional, o hatch não tem a mínima chance de voltar aos bons tempos.

 

Redação

Redação |