Assim como a indústria nacional, o comércio de veículos importados também teve queda em abril. No mês passado, foram emplacadas 7.497 unidades, uma retração de 13,98% em relação a março. As informações foram reveladas hoje pela Abeiva (Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores) e se referem somente a seus 22 associados: Aston Martin, Audi, BMW, Chana, Chery, Chrysler, Dodge, Effa Changhe, Effa Hafei, Hafei Motor, JAC, Jaguar, Jeep, Jinbei, Kia Motors, Land Rover, Pagani, Porsche, Spyker, SsangYong, Suzuki e Volvo.

Apesar do declínio das vendas em abril, a entidade liderada por José Luiz Gandini (também presidente da Kia Motors do Brasil), se mostra otimista. "Nós já esperávamos a queda, assim como ocorreu na indústria nacional, mas ela foi menor que a redução de 22,3% registrada no mercado em geral. Por isso, podemos dizer que abril foi um mês bom para os veículos importados”, afirma o executivo. Seu otimismo também é apoiado pelos números de 2010, que se mostram superiores aos do ano passado. Na comparação com abril de 2009, que emplacou apenas 2.585 veículos, o mês passado teve alta de 190%. Já considerando o 1º quadrimestre de 2010, quando foram vendidos 26.708 exemplares, a alta foi de 195,6% sobre o mesmo período de 2009, que registrou 9.034 vendas.

Segundo a Abeiva, serão comercializados até o final do ano 80.000 veículos importados, o que significaria um aumento de 70% em relação a 2009. Esse resultado seria fruto dos 37 lançamentos já confirmados pelas associadas da Abeiva. Além disso, quatro novas marcas podem virar associadas da entidade: Ferrari, Lamborghini, Maserati e Bentley.

Rodrigo Mora

|