Foram dez anos de trabalho para quebrar um recorde que já durava 103 anos. Não que o desafio fosse tão difícil assim, mas o fato é que carros movidos a vapor só existiam no começo do século passado e foram rapidamente suplantados pelos modelos com motor a explosão.

Com isso, a marca obtida por Fred Marriot em 1096 na Flórida – 204,381 km/h - acabou durando muito mais do que se pensava. Até que uma equipe inglesa decidisse construir um automóvel do tipo nesta década.

Idealizada pelo piloto Charles Burnett III, a British Steam Car Challenge, enfim, conseguiu o feito na terça-feira, dia 18, ao atingir 225,049 km/h na base aérea de Edwards, na California. O número é uma média de várias passagens contra e a favor do vento – normalmente, uma delas é até mais veloz, mas não pode ser homologada por causa da ajudinha do vento.

O BSCC utiliza uma turbina de dois estágios com potência de 360 cv que alimentam doze caldeiras capazes de gerar vapor a uma razão de uma tonelada a cada 25 minutos – literalmente, uma sauna gigantesca...

Ricardo Meier

Ricardo Meier |