A “europalização” do mercado dos Estados Unidos está começando. Nos perdoem por criar uma palavra, mas somente assim para definir a atuação situação da indústria automobilística americana, sucateada após a crise financeira.

Como era concentrada em veículos grandes e beberrões, as montadoras locais viram-se de uma hora para outra sem produtos econômicos para oferecer para um público que mudou de opinião.

A saída, por enquanto, é trazer modelos europeus para os Estados Unidos. Menores, mas mais refinados e modernos que seus pares americanos, eles nunca tiveram muitos fãs no país. Espera-se que agora a situação mude.

Para o bem da GM, será ótimo que o Buick Regal caia no gosto do americano. A mais recente novidade da montadora, um sedã médio com visual elegante e interior recheado de equipamentos nada mais é do que o Insignia, da Opel, o modelo que sucedeu o Vectra na Europa – não o nosso Vectra, claro.

Para brigar com os alemães

A intenção da ex-número 1 do mundo é ter um carro para enfrentar outros europeus que estão de malas para o país já que o Insignia, perdão, Regal é menor que os sedãs mais vendidos lá como o Camry e o Accord. Mas oferece mais recursos e um consumo adequado com a realidade tanto no motor 2.4 litros quanto no 2.0 turbo.

A Buick começa a vender o Regal em abril de 2010 apenas na versão topo de linha CXL.

Ricardo Meier

Ricardo Meier |