A primeira fabricante a anunciar seus resultados após o encerramento do ano fiscal é a Lamborghini. E quem pensa que os superesportivos de milhões de dólares são sinônimo de lucro, engana-se. A fabricante italiana encara um prejuízo de US$ 47,6 milhões, conseqüência da queda de 37,7% nas suas vendas em 2009, quando comparadas a 2008 – no ano passado, foram vendidos 1.515 carros, contra 2.430 do ano anterior. 

Executivos da empresa culpam a crise financeira do ano passado pelo mau desempenho, argumentando que seus principais clientes são empresários, justamente os mais afetados pelo estresse econômico. No entanto, a empresa já esboça reação: “mesmo em um ano difícil como 2009, nós conseguimos manter o ritmo de desenvolvimento de novos produtos. Nós aumentamos nossos planos de investimentos, confirmando nosso comprometimento para um crescimento estratégico de médio a longo prazo”, afirmou Sephan Winkelmann, presidente e CEO da empresa. Winkelmann também revela que o departamento de pesquisa e desenvolvimento de produtos recebeu 32% a mais de verba em relação a 2008, e que a Lamborghini, apesar do prejuízo, manterá a meta de lançar um produto novo por ano.

Por outro lado, a queda de vendas da fabricante foi boa para os demais consumidores da marca. Depois de fazer a encomenda, um cliente esperava até um ano para receber seu esportivo – agora, são “apenas” seis meses.

Rodrigo Mora

|