Temendo uma onda de reclamações e desgaste com o público depois do episódio com o mecanismo do Fox que causava ferimentos nos dedos, a Volkswagen se apressou hoje em explicar os problemas recorrentes nos motores EA111 do Gol e do Voyage, que têm causado ruídos estranhos e mesmo a substituição em alguns casos.

O motivo seria um lubrificante de especificação errada introduzido a partir de março de 2008, quando o motor EA111 foi melhorado para render mais e gastar menos. O óleo, quando o carro está abastecido com álcool, tem sua eficiência reduzida, provocando desgaste prematuro em partes internas.

A Volkswagen explicou que a solução para o problema, no entanto, é simples. Basta voltar a usar o lubrificante da especificação anterior. Para tranqüilizar os proprietários, a marca estendeu em um ano a garantia do motor – agora são quatro anos de proteção.

Pela dimensão do problema, sabe-se que a última medida que a montadora deseja fazer é um recall não só pela quantidade de carros – estamos falando do modelo mais vendido no Brasil e de um sedã com bastante demanda -, mas porque uma eventual troca de componentes internos custaria muito e seria complexa demais de ser executada em sua rede de concessionárias.

A montadora, no entanto, não convocará um recall porque o defeito ocorre em média em um a cada mil motores. Os clientes que perceberem o problema deverão dirigir-se a um distribuidor onde será feita a troca do óleo e alguma correção necessária.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |