Houve uma reviravolta nas vendas da Hyundai em janeiro. De fenômeno de vendas, o Azera com seu preço pra lá de competitivo já começa a perder espaço para o Sonata, à venda em versão única – recheada de equipamentos – por R$ 105.000. Em janeiro, o modelo mais recente somou 624 unidades contra 472 de seu “rival interno”. Em dezembro, o resultado foi bem diferente: sedã mais antigo emplacou 678 unidades, ante 226 de seu irmão mais novo. As boas vendas do modelo também o colocam como o sedã grande mais vendido do país, segundo ranking da Federação Nacional do Distribuição de Veículo Automores (Fenabrave).

E os preços do Azera são convidativos. É tabelado entre R$ 90.000 e R$ 98.000, mas é possível negociar generosos descontos, que muitas vezes baixam seu valor para a casa dos R$ 70.000. Já o Sonata, por hora, é vendido apenas pelo valor fixado, embora os descontos sejam uma prática comum nas concessionárias Hyundai.

Uma versão mais simplificada do Sonata é esperada ainda para o primeiro semestre, dispensando itens como o teto-solar panorâmico, 8 airbags (ficariam apenas 4) e as rodas de alumínio aro 18” em detrimento do jogo nos tamanhos 16” ou 17”. Com essa exclusão, seu valor poderia encostar no do Azera, ou fica ainda mais baixo. Outra novidade importante para o sedã é a chegada de novas opções de acabamento bege e preto para os bancos, antes oferecido somente na coloração vinho, um tanto fora do gosto nacional.

A motorização, no entanto, deve seguir inalterada mesmo com a chegada do modelo mais em conta. O bloco atual é o 2.4 aspirado a gasolina de 182 cv e 23,3 kgfm de torque, enquanto o câmbio é automático sequencial (com borboletas atrás do volante) de 6 marchas. No exterior, a Hyundai oferece o Sonata também na opção com propulsor 2.0 turbo de 200 cv.

O Azera, por sua vez, não deve durar muito tempo. Com uma nova geração já vigente fora do Brasil, o carro cederá seu espaço ao modelo mais moderno no final de 2011, até porque a linha oferecida atualmente será descontinuada.

Thiago Vinholes

|