O superesportivo R8 ficou pequeno ao lado do A1 no Salão do Automóvel de São Paulo em 2010. Principal destaque da Audi no evento, o compacto tinha seu lançamento prometido para acontecer entre março e abril. Nem um, nem outro. Somente nesta terça-feira (10) o carro foi, enfim, lançado no mercado brasileiro com preço inicial de R$ 89.900.

Mas o atraso não espantou a clientela. Segundo anunciado pela Audi do Brasil, mais de 450 unidades do carro já foram vendidas desde dezembro. As primeiras unidades chegam aos seus donos ainda neste mês e logo o carro poderá ser visto pelas ruas do país.

Com 3,95 metros de comprimento, 1,74 m de largura e 1,42 m de altura, o A1 é o rival ideal de carros como o Mini Cooper e Fiat 500. Mas o “carrinho” da Audi se diferencia da dupla concorrente por não ser inspirado em carros do passado. Seu desenho é mais “comportado”, seguindo o padrão “sóbrio-esportivo” característico da marca alemã.

A motorização do A1, em termos tecnológicos, também é mais avançado que a de seus concorrentes. O modelo oferecido no Brasil vem com o premiado motor 1.4 TFSI de 122 cv, que se vale de turbocompressor e sistema de injeção direta de gasolina para rodar em média 18 km por litro de combustível. Mais um troféu para o câmbio, que é o S-Tronic com 6 marchas e dupla embreagem, referência em transmissão semi-automática.

E o pequeno Audi também sabe correr: cumpre a prova dos 0 a 100 km/h em 8,9 e atinge 203 km/h, conforme dados oficiais da empresa. Outro destaque do A1 é o sistema de freio regenerativo, que aproveita a força das frenagens para ajudar na recarga da bateria.

De série, o A1 à venda no Brasil já vem equipado com 6 airbags, controle eletrônico de estabilidade (ESP), freios ABS, faróis de xenônio, ar-condicionado digital, entre outros. A lista de opcionais inclui itens como o teto solar panorâmico e o sistema de áudio Bose com 14 alto-falantes e 456 watt de potência sonora.

Thiago Vinholes

|