Os endinheirados e ecologicamente engajados passam a encontrar nas concessionárias da Mercedes-Benz a união de altíssimo luxo, potência e menor consumo de combustível. A marca alemã confirmou que começa a vender no Brasil o S400 Hybrid por US$ 253 500, ou R$ 466 186 na cotação de hoje. Trata-se do primeiro veículos híbrido vendido oficialmente no Brasil.

O S400 Hybrid vem equipado com motor 3.5 litros V6, de 279 cv, movido a gasolina e auxiliado por um propulsor elétrico, de 20 cv. Porém, ao contrário do que ocorre em alguns veículos híbridos, aqui o motor abastecido pelas baterias de íons de lítio nunca opera sozinho, mesmo em baixas velocidades e com pouca (ou quase nenhuma) demanda por desempenho. O propulsor elétrico apenas soma potência ao bloco a combustão nas situações em que este último é mais exigido, poupando combustível e emitindo menos poluentes. As baterias são reabastecidas pelo próprio motor a combustão, que joga parte de sua energia para um gerador que a transforma em recarga, e pela energia dissipada pelos freios, algo semelhante ao Kers usado na Fórmula 1. O S400 Hybrid também conta com o sistema start/stop, que interrompe o funcionamento do motor em velocidades inferiores a 8 km/h e com o freio pressionado. Segundo a Mercedes, esses recursos garantem ao luxuoso sedã uma economia de 8% de combustível. A velocidade máxima é de 250 km/h, enquanto o consumo combinado é de 11,9 km/h, ainda de acordo com a montadora. A transmissão é automática, de sete velocidades.

Numa breve volta no autódromo de Jacarepaguá, durante o Challenge Bibendum, confirmamos que o carro não perdeu desempenho pelo fato de ser híbrido. Pelo contrário: pressionando forte o acelerador, notamos que os 299 cv (279 cv do motor a combustão somados a 20 cv do propulsor elétrico) dão conta dos cerca de 1.900 kg do carro. O acionamento e a interrupção do motor elétrico são completamente imperceptíveis, assim como o desligamento e a reativação do motor pelo sistema start/stop – ao contrário do smart fortwo, também testado por nós no evento carioca, que mostra claramente ao motorista que o carro voltou a funcionar, embora sem incômodo algum. Outro ponto elogiável é o sistema de informação do sistema híbrido. Há uma tela central no painel com uma espécie de raio-x do carro, informando principalmente o fluxo de gasto ou acúmulo de energia do motor elétrico. No momento em que flechas vermelhas saem dele em destino às rodas, é porque a unidade elétrica está gastando energia. Quando elas são verdes, em direção às baterias, significa que naquele momento está ocorrendo uma recarga. Essas informações nos pareceram muito mais claras que o display do Toyota Prius, por exemplo, também testado por nós na ocasião.

A Mercedes acredita que o sucesso do S400 Hybrid se dará por conta da demanda social que ele provocará. Para a marca, o comprador de uma Classe S se sentirá no dever de ser exemplo de consciência ambiental, já que poucos como ele poderão, ao menos por enquanto, comprar tal tecnologia. Outro argumento a favor do S400 Hybrid é seu preço. Embora tenha tecnologia híbrida, é o mais barato da gama, ficando cerca de US$ 80 000 abaixo do S500, até então a porta de entrada desse luxuoso universo.

Rodrigo Mora

|