Acompanhando uma tendência mundial, o segmento de luxo no Brasil vem apresentando crescimento significativo a cada ano. Um dos maiores representantes desse momento é o setor automotivo. O número ainda é pequeno diante das montadoras que têm fábrica no Brasil (ou acordos bilaterais com Argentina e México), mas as marcas premium estão mudando o alvo de alguns consumidores.

A Mercedes-Benz fechou 2010 como a líder entre os veículos de luxo. Foram 12.541 unidades emplacadas no ano passado, a colocando em 14ª no ranking geral. Logo em seguida, no 15° posto, vem a BMW, com 8.439 emplacamentos, seguida pela Audi, que vendeu 3.255 carros e ficou na 22ª posição no ranking geral. Todas elas alcançaram resultados melhores em relação a 2009 – na mesma ordem, a Mercedes vendeu 9.636, a BMW 5.215 e a Audi 1.960 unidades no ano retrasado.

Um pouco abaixo no ranking, mas ainda com bons resultados, vêm Land Rover (5.206 veículos, 17ª colocação), Volvo (2.172, 26ª) e Jaguar (89, 37ª).

Superesportivos

Sem ruas e estradas apropriadas para explorar todo seu potencial, até mesmo os superesportivos foram bem nas vendas de 2010. A Porsche emplacou impressionantes 1.009 modelos (liderados por Cayenne e Panamera), desempenho bem superior ao de 2009, quando 611 unidades da marca foram comercializadas. A Ferrari também cresceu: se 2009 foi um ano ruim, com apenas 13 vendas, 2010 a companhia italiana comemorou com 38 emplacamentos. A Maserati vendeu 23 carros, contra 14 em 2009.

Lamborghini e Aston Martin, que chegaram oficialmente ao Brasil no ano passado, venderam 14 e 13 esportivos, respectivamente.

 

Rodrigo Mora

|