A rigidez em relação aos cronogramas faz dos alemães os produtores de veículos mais previsíveis do mundo. Sai ano, entra ano e as novidades chegam sempre na mesma cadência. Em 2011 será a vez da reforma de meia idade do Classe C, modelo mais vendido da Mercedes-Benz no mundo.

O sedã de entrada da marca – os outros são o Classe E e o luxuoso Classe S -, talvez nem precisasse de retoques já que a atual geração, lançada em 2007 e conhecida pela sigla interna W204, ainda é atual o suficiente para sobrepujar os rivais Série 3, da BMW, e A4, da Audi. Mas regra é regra e para a montadora a hora é de mudar.

Tudo novo

No exterior, as mudanças foram discretas: os faróis, que antes exibiam uma espécie de pálpebra, agora ganharam contornos mais curvos. O para-choque inverteu o desenho da entrada de ar e manteve os faróis de neblina de leds, introduzidos este ano. Na traseira, visível é a alteração no desenho das lanternas, cuja parte em branco está menor.

A Mercedes diz que o teto do Classe C passou a ser fabricado em alumínio para reduzir o peso do carro. Um novo motor de 4 cilindros, mais potente e leve também faz parte da linha vendida nos Estados Unidos – no Brasil, as versões mais vendidas, C 180 e C200 já usam um motor menor.

Se por fora o Classe C precisa de lupa para se notar diferenças, no interior a história é outra. A Mercedes decidiu trocar o painel por inteiro que, aliás, era muito atraente. O novo segue o mesmo padrão do Classe E, com linhas retangulares e o prolongamento da cobertura do quadro de instrumento para o console central que agora abriga a tela LCD – antes o dispositivo era retrátil. Volante com melhor empunhadura e mostradores mais modernos completam a mudança (Veja álbum que mostra as diferenças entre o modelo 2011 e o 2012).

A Mercedes aproveitou a linha 2012 para introduzir uma série de auxílios ao motorista como o Attention Assist, que alerta o motorista em momentos de distração ao Blind Spot Assist, um recurso que avisa sobre um carro no ponto cego do retrovisor.

O novo Classe C 2012 será revelado no Salão de Detroit, em janeiro, mesmo mês em que as vendas começarão na Europa. Os americanos só poderão comprar o modelo a partir de julho, mesma época em que se espera a novidade no Brasil.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/