Prevendo encerrar este ano com 2.000 unidades comercializadas – um aumento de 100% em relação ao desempenho de 2009 –, a Mini contará com mais um modelo para se consolidar no mercado nacional. Após sua apresentação oficial durante o Salão do Automóvel de São Paulo, no final de outubro, chega às lojas o Countryman, que partirá de R$ 107.700 na versão Pepper. A Chilli sairá por R$ 119.700, enquanto pela S a Mini cobrará R$ 129.700. A topo de linha, S All 4, com tração integral, custará R$ 144.700. Os preços não incluem frete e pintura metálica. 

Lançado oficialmente no Salão de Genebra, em março, o Countryman é o primeiro carro da Mini a ter quatro portas. Estreia, também, a tração integral na marca inglesa – em condições normais, a força é distribuída igualmente entre os eixos, mas pode ser 100% concentrada nas rodas de trás em situações extremas. Na motorização, o Countryman repetirá o conjunto dos demais Mini no Brasil, com bloco 1.6 litro de 120 ou 175 cv, caso das versões mais caras, com turbocompressor. A transmissão é manual de cinco velocidades ou automática, com seis marchas.

Com o Countryman, a Mini completa sua gama no Brasil, formada por Cooper, Cooper Cabriolet e Clubman. Outro sinal da sua forte expansão é que, até o final do ano, o número de concessionárias deve saltar dos atuais sete para 16 pontos de venda – já presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba e Brasília, a Mini chegará também a Campo Grande, Cuiabá, Florianópolis, Goiânia, Manaus, Uberlândia e Vitória.

Rodrigo Mora

|