Boa parte do incremento nas vendas alcançado pela BMW nos últimos dois anos vem do lançamento de versões mais baratas de modelos como 120i – com 136, e não 156 cv, o 118i parte de R$ 100.510 – e 325i, que na versão 320i tem a potência do motor reduzida de 218 para 156 cv, assim como o preço despenca de R$ 196.050 para R$ 113.530. (Estratégia, diga-se, totalmente rejeitada pela Audi, que não tem boas lembranças do A3 Sportback 1.6). Satisfeita com a tática, a BMW tem feito o mesmo com a Mini.

Depois da versão Salt, já R$ 15.000 mais em conta que a Pepper, a marca inglesa começa a vender no Brasil a configuração One do Cooper, que será o modelo de entrada da Mini. Nas concessionárias consultadas por AUTOO, o carro chegará no final do mês. Na Caltabiano, o Mini Cooper One já pode ser reservado por R$ 69.900.

Em busca do preço reduzido, o One perde, entre outros, equipamentos como entrada USB e rádio com Bluetooth, além de trazer ar-condicionado analógico. O acabamento é diferenciado, as rodas são aro 15 (e não 16 e 17) e o carro só virá em uma cor – perdendo o charme de juntar, por exemplo, carroceria vermelha com teto branco. Mas a principal mudança será no motor: originalmente com 120 cv, o 1.6 do One cairá para 98 cv. Ao menos por enquanto, somente o câmbio manual de seis marchas estará disponível.

Rodrigo Mora

|