A discrepância de impostos entre Brasil e Argentina dá exemplos novamente. Poucos dias antes de chegar ao Brasil, em meados de junho, o Volkswagen SpaceFox desembarcou na Argentina custando a partir de 64.450 pesos, o equivalente a R$ 29.290. Sua versão topo de linha, Highline, sai por 80 945 pesos, ou R$ 36.790. Com a cascata de impostos que incide sobre os carros que rodam por aqui (nacionais ou importados), a perua (que é fabricada por lá, mas chega aqui sem taxa de importação) tem preços que vão de R$ 48.790 a R$ 63.800.

Agora quem está prestes a começar suas vendas na Argentina é o Citroën Aircross, lançado no Brasil em agosto. Quando chegar às concessionárias, em março, a minivan custará a partir de 80.280 pesos, ou R$ 34.550. Aqui, a última novidade da Citroën não sai por menos de R$ 53.900 – uma diferença de R$ 19.350, quase o preço de um Fiat Mille ou uma boa motocicleta.

As versões oferecidas lá são praticamente as mesmas daqui, com a adição da configuração SX, intermediária, de R$ 36.700. A top, Exclusive, partirá de R$ 40.800, ou R$ 43.170 quando comprada com todos os opcionais. Vale dizer novamente que o Aircross, no Brasil, parte de R$ 53.900 na versão básica.

Rodrigo Mora

|