Depois de lançar dois modelos produzidos em sua nova fábrica no Brasil, localizada em Resende (RJ), a Nissan agora quer ampliar sua linha de veículos em território nacional. A marca japonesa confirmou durante o Salão de Buenos Aires o lançamento da nova geração da picape Frontier, que será importada do México e, em 2018, produzida na Argentina.

Para José Luis Valls, chairman da Nissan para a América Latina, isso é pouco. Segundo o executivo, a Nissan quer entrar em novos segmentos no Brasil. O mais cotado hoje é o de SUVs compactos, onde a fabricante deve participar com o Kicks, mostrado como conceito no Salão de São Paulo.

Segundo iG apurou, o Kicks será o carro propaganda da marca durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em agosto de 2016. Questionado sobre o assunto, Valls reconheceu que seria o cenário ideal, mas que “ainda estão estudando o assunto”. Ao ser confrontado com o fato de que o tempo de apenas um ano até o evento ser muito curto no planejamento de uma montadora, o executivo reconheceu que “estão atrasados” nesse sentido.

Apesar do discurso cauteloso, é praticamente certo que o Kicks já está em processo de preparação para produção – trata-se do segmento mais promissor no Brasil, o carro agradou nas clínicas e a fábrica de Resende tem espaço para produzi-lo, portanto, não faria sentido postergá-lo.

Note na mira

Ainda durante a entrevista, Valls reconheceu que o monovolume Note pode ser mesmo vendido no Brasil, algo que era negado veemente até então. O modelo é derivado do Versa e seria um forte concorrente para o Honda Fit, além de alternativa para a aposentadoria da minivan Livina. A princípio, o Note poderia ser trazido do México sem pagar impostos de importação já que a Nissan detém a maior cota vinda desse país.

Em paralelo ao evento na Argentina, a Nissan também testou a receptividade de três modelos de crossovers e SUVs para um grupo reduzido de jornalistas, que tiveram contato com o Juke, Quashqai e X-Trail.

Embora tenha sido apenas uma demonstração aparentemente sem intenção de antecipar algum futuro lançamento, segundo uma fonte ouvida pelo AUTOO, a Nissan pretende, sim, importar um desses carros para o Brasil, como forma de complementar seu portfólio.

Dupla de Frontier

Já a nova geração da Frontier, que atende também pelo código “NP300”, será fabricada na Argentina a partir de 2017, fruto de um investimento de US$ 600 milhões (algo em torno de R$ 1,85 bilhão), e deve chegar ao Brasil no ano seguinte. No entanto, antes disso, em meados do ano que vem, o modelo pode ser importado do México para ambos os países.

A ideia é que a Frontier nacional, mais antiga, siga em produção como uma opção mais em conta. Entretanto, diante da preferência desse público por veículos mais modernos e equipados, parece pouco provável que a velha Frontier vá justificar alguma demanda na época. O que não deve ser problema para a Nissan até lá caso amplie sua atuação no Brasil, como tudo leva a crer que acontecerá. 

 
 
Nissan Qashqai pode um dia vir ao Brasil Nissan Qashqai pode um dia vir ao Brasil
O Nissan Note tem chances de chegar ao Brasil importado do México O Nissan Note tem chances de chegar ao Brasil importado do México
Nos EUA, o Nissan X-Trail é um dos modelos mais vendidos nesse segmento Nos EUA, o Nissan X-Trail é um dos modelos mais vendidos nesse segmento
Nova Nissan Frontier no Salão de Buenos Aires Nova Nissan Frontier no Salão de Buenos Aires
Nova Nissan Frontier no Salão de Buenos Aires Nova Nissan Frontier no Salão de Buenos Aires
Nova Nissan Frontier no Salão de Buenos Aires Nova Nissan Frontier no Salão de Buenos Aires
Nissan Kicks Concept em Buenos Aires Nissan Kicks Concept em Buenos Aires
Nissan Kicks Concept em Buenos Aires Nissan Kicks Concept em Buenos Aires
 
 
Redação

Redação |