Atuar na categoria onde o Kia Sportage figura não é fácil. Quem começa a pesquisar modelos no segmento dos SUVs médios só vai encontrar ótimas opções, o que não deixa de ser ótimo para os interessados. Isolando os modelos de marcas de luxo, a gente pode fazer uma lista com produtos interessante, destacando o Honda CR-V, Hyundai ix35, Toyota RAV4, apenas para citar os concorrentes diretos. Mesmo nesse grupo seleto o Sportage não faz feio, tanto que é o modelo mais comercializado da Kia no Brasil e responde por cerca de 50% de tudo que a marca sul-coreana consegue emplacar em tempos de Dólar alto e política tributária nada receptiva aos importados. 

Como você pode ver em nosso ranking de vendas de SUVs médios, o ano de 2015 foi dominado pelos Hyundai ix35 e Tucson, ambos fabricados por aqui, seguidos pelos Mitsubishi ASX e Outlander. Prova de que os brasileiros gostam do Sportage, é que o representante da Kia no segmento encerrou o ano passado na 5ª posição, portanto a frente do Toyota RAV4 (7º) e do Honda CR-V (13º). No caso do CR-V, contudo, vale a pena darmos um desconto já que ele passou alguns meses a espera do modelo re-estilizado. 

E se o povo gosta do Sportage, a Kia espera que ele passe a gostar ainda mais com a estreia da quarta geração do SUV, que foi lançado em 1996 e completa 20 anos de estrada. A ambição global da marca é praticamente duplicar as vendas do Sportage, projetando que ela ultrapasse a marca de 3 milhões de unidades colocadas nas ruas em um prazo que gira em torno de 5 anos.

O que ele traz de novo?

Bom, o Sportage 2017 praticamente evoluiu em tudo. A estrutura, por exemplo, é feita com 51% de aço de alta resistência, uma melhora significativa frente aos 18% do Sportage anterior. Isso ajuda a aprimorar a segurança para os passageiros, além de tornar o comportamento dinâmico mais apurado, uma vez que a carroceria ganha em rigidez torcional. 

Se na passagem da 2ª para a 3ª geração o Sportage realizou um salto exponencial em termos de estilo, agora a equipe de Peter Schreyer, o responsável por estabelecer um alto padrão de design por todo o grupo sul-coreano, tratou de rever apenas algumas proporções e formas do SUV. 

A dianteira, por exemplo, trocou o maior apelo de esportividade da geração anterior por um toque especial de robustez, como sugerem os faróis mais altos seguindo um recurso estético também aplicado na Fiat Toro. Na versão EX, a mais cara, os faróis de neblina com 4 lâmpadas de LED (a primeira foto de nossa galeria) criam um belo efeito visual para quem olha o utilitário esportivo.

Sem grandes alterações no tamanho, o Sportage ganhou apenas 40 mm no comprimento, 30 mm na altura e 30 mm na distância entre-eixos. A largura segue inalterada. Quem conhece, ou possui, um Sportage ficará feliz em saber que o excelente espaço interno está mantido. Inclusive é possível ajustar o encosto do banco traseiro para oferecer mais conforto aos ocupantes por ali. O espaço para as pernas segue muito bom e o Sportage acomoda 5 adultos sem que ninguém passe aperto. 

Como ele chega?

Em tempos de crise, a Kia optou por uma estratégia mais realista para o Sportage por aqui. O motor segue o mesmo 2.0 16V flex, que manda seus 167 cv para as rodas por meio da transmissão automática de 6 marchas com a opção de trocas sequenciais inclusive por meio de borboletas no volante (versão EX), algo raro na categoria. Não haverá opção manual, sequer 4x4 do Sportage por aqui. Os importadores destacam que a participação da tração integral nas vendas do Sportage anterior não chegavam a 5% do volume total. Afinal, vamos ser honestos, carros como o Sportage raramente saem do asfalto. 

O motor 1.6 com turbo e injeção direta, uma das estrelas do Sportage vendido lá fora, não está descartado. “A gente tem a intenção de trazer sim, até porque nossos concorrentes vão seguir nessa linha. Nós estamos de olho, mas como o processo de homologação é longo, não será tão já que poderemos ter o 1.6 turbo por aqui”, explicou Ary Jorge, diretor de vendas da Kia Motors do Brasil. Questionado se alguma unidade já roda por aqui para realizar os testes locais, o executivo foi taxativo: “não”. Caso decida oferecer o 1.6 T-GDi no Brasil, com certeza será uma aposta certeira da marca. Só tem que ver se os custos permitem. Considerando que sonhar não custa nada, nos EUA o Sportage tem uma interessante versão chamada SX Turbo, com um arisco 2.0 de 240 cv sob o capô. Um baita SUV para brigar com gente do andar de cima, como o BMW X1 sDrive20i

Voltando para o presente, o Sportage que teremos no momento chega em duas versões. A LX, de entrada, é tabelada em R$ 109.990 e deverá responder por 30% das vendas. De série ela conta com o “básico”, ou seja, rodas de liga leve aro 17”, o ar-condicionado é manual e não há uma central multimídia propriamente dita, apenas um robusto sistema de som que permite controlar as entradas para mídias, Bluetooth e CD/MP3. Sem oferecer sequer revestimento interno de couro, item reservado para a versão seguinte, ela tem tudo para virar um mico nas mãos de quem comprar.

O Sportage que interessa, e de fato é a configuração mais interessante com os outros 70% do mix, é a EX de R$ 134.990. O preço já fica bem mais salgado, porém ele acrescenta o teto solar panorâmico (muito bom por sinal, cobrindo quase toda a parte superior da carroceria), ar-condicionado digital com duas zonas, bancos dianteiros elétricos, chave presencial com partida por botão, rodas de liga leve aro 19”, piloto automático e central multimídia com navegador integrado, reprodução de DVD e câmera de ré (a LX também conta com a câmera, porém as imagens são projetadas na tela do sistema de áudio).

Destaque também no Sportage EX para o bom pacote de segurança, com airbags dianteiros, laterais e de cortina, controles de estabilidade e tração, detector de ponto cego nos retrovisores externos, dentre outros. Com isso, a Kia espera emplacar ao longo deste ano cerca de 320 unidades/mês do novo Sportage. 

Kia Sportage EX 2017

  • Resumo

    Preço

    R$ 134.990

    Categoria

    SUV médio

    Rivais

    Honda CR-V, Toyota RAV4, Hyundai ix35, Mitsubishi ASX

    Vendas em 2015

    6.693 unidades

  • Mecânica

    Motor

    2.0 16V flex

    Potência

    167 cv (E) / 156 cv (G) a 6.200 rpm

    Torque

    20,2 kgfm (E) / 18,8 kgfm (G) a 4.700 rpm

    Transmissão

    automática, 6 marchas

  • Dimensões

    Medidas

    4,48 m de comprimento, 1,85 m de largura, 1,66 m de altura e 2,67 m de entre-eixos

    Peso

    1.570 kg

    Porta-malas

    503 litros

Como ele anda?

A Kia soube transmitir sua orientação mais esportiva ao Sportage 2017. Basta você reparar no pedal do acelerador com a base no assoalho, o volante com a parte inferior achatada e, sobretudo, a boa posição de dirigir para um SUV. Se o volante ficasse alguns milímetros mais para baixo, aí sim poderíamos afirmar que a posição de comando do SUV se tornaria impecável.

Para acompanhar o caráter do acelerador, o pedal do freio também é sensível ao toque, um comportamento mais próximo de carros que preferem entregar prazer ao dirigir do que muito conforto. O legal do Sportage é que, por ser alto, com pouco mais de 18 cm de altura livre em relação ao solo, as rodas aro 19” não comprometem o sossego dos passageiros e ajudam a manter o SUV mais comportado nas curvas. A direção elétrica está muito bem calibrada, com respostas rápidas e o peso correto. Tão bem acertado quanto a direção é o câmbio automático, que não deixa a desejar nas trocas sequenciais.

Do motor 2.0 16V fica a vantagem de poder ser abastecido com etanol ou gasolina, além da competência para empurrar o Sportage. Porém, é nítido como o conjunto foi feito para receber um propulsor mais apimentado, nesse ponto o 1.6 turbo deve cair como uma luva. Fica nossa súplica para a Kia pensar no assunto com carinho.

No saldo final...

Com bom acabamento e conjunto moderno (tudo bem, não vamos mentir que a gente foi avaliar o Sportage sedentos pelo 1.6 turbo), o Kia Sportage tem tudo para continuar agradando. A Kia sabe do peso que é mexer com Honda e Toyota por aqui, por isso soube posicionar bem o modelo. Ele não tem tração integral como o CR-V (R$ 145.800), mas é mais barato e tão equipado quanto. Já o RAV4 topo de linha, também com tração integral como o CR-V, atinge quase um outro patamar de preço, chegando às lojas por R$ 156.950.

Além dos 5 anos de garantia, a Kia anunciou que o Sportage será seu primeiro modelo com preços fixos de revisão, que irão totalizar R$ 3.667 até 60.000 km. É caro, porém ao menos permite que você programe o quanto vai desembolsar no período e significa uma evolução no pós-venda da Kia por aqui.   

No saldo final, o Kia Sportage 2017 é um modelo que vale a pena e pode ser considerado com tranquilidade frente a rivais poderosos como o Honda CR-V e o Toyota RAV4. 

 
 
Kia Sportage 2017
 
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
 
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
 
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
 
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
 
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
 
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
 
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
 
Kia Sportage 2017
Kia Sportage 2017
 
 

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |