Ondas de frio, inverno chegando... é hora de tirar os agasalhos e cobertores do armário e se preparar para andar bem quentinho por aí. E se nem o corpo humano consegue lidar muito bem com as variações de temperatura, basta notar a maior frequência dos hospitais nessa época do ano por pessoas com queixas de problemas respiratórios, já lhe ocorreu o que o frio pode fazer ao seu carro?

Pois é, esses nossos fiéis amigos que nos ajudam a cumprir nossos afazeres diários também pedem alguns cuidados. Para começo de conversa, vale destacar que todo automóvel é projetado (e validado) para aguentar um amplo espectro de temperaturas, indo de - 40ºC (no caso de veículos comercializados na Rússia e demais regiões onde o frio é extremo) até cerca de 50ºC positivos. “Não há um intervalo específico de temperaturas que um carro deve suportar estabelecido por lei no Brasil. Cada montadora segue os seus parâmetros, mas geralmente como um veículo pode ser vendido em vários mercados, ele precisa estar apto a enfrentar as situações climáticas mais diversas”, explica Nilton Monteiro, diretor executivo da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA).

Logo, na parte estrutural, tanto o frio como o calor mais exagerado não chegam a ser algo prejudicial ao carro, porém é comum que alguns ruídos apareçam com mais frequência. “Como algumas peças de acabamento enfrentam constantes movimentos de expansão e contração, nessa época de frio mais intenso é comum aparecerem alguns ruídos e chiados”, acrescenta Monteiro. 

Veja também: As sete etapas para tirar a CNH

Talvez uma das partes do carro que mais demandem atenção no frio é o motor. “O maior cuidado que as pessoas precisam ter, em especial com os primeiros carros flex, é o cuidado de manter o tanquinho de partida a frio sempre abastecido com gasolina”, recomenda Henrique Pereira, da comissão técnica de motores da SAE Brasil. O engenheiro também faz um alerta: “é sempre bom você verificar o estado da gasolina no tanquinho em especial agora no começo do inverno. Como muitas vezes esse combustível não é usado durante o verão, ele fica parado por alguns meses e pode criar uma goma no reservatório. Então, se você notar uma certa dificuldade na hora de ligar o carro, vale a pena fazer uma revisão do sistema de partida a frio”.  

Se para a gente já é difícil sair da cama nessa época do ano, por incrível que pareça o frio pode até ajudar seu carro a rodar com mais desenvoltura. “O ar frio é mais denso, mais condensado, logo o motor pode trabalhar melhor e até ganhar no desempenho. Mas é algo imperceptível”, detalha o engenheiro da SAE Brasil. 

Um ponto relevante mencionado pelos dois entrevistados do AUTOO é o cuidado após a primeira partida do carro. Hoje em dia você não precisa “esquentar” o motor como era comum há alguns anos, mas é interessante não acelerar muito e nem "esticar" as marchas antes do motor atingir a temperatura ideal de funcionamento. “Uma dica que eu dou para quem anda com etanol e mora em regiões muito frias, é colocar um pouco de gasolina, em torno de 10% a 20%, direto no tanque principal do carro”, sugere o diretor da AEA. Monteiro também explica que é preciso respeitar o período de aquecimento natural tanto do motor, em especial por causa do óleo, como dos demais fluidos.  

 
 
A bateria, que é muito exigida em dias frios, deve ser trocada se já estiver no fim da vida útil
 
A bateria, que é muito exigida em dias frios, deve ser trocada se já estiver no fim da vida útil
A bateria, que é muito exigida em dias frios, deve ser trocada se já estiver no fim da vida útil
O tanquinho de gasolina (acima com a tampa vermelha) deve estar sempre abastecido
 
O tanquinho de gasolina (acima com a tampa vermelha) deve estar sempre abastecido
O tanquinho de gasolina (acima com a tampa vermelha) deve estar sempre abastecido
Verifique a pressão dos pneus: ela pode sofrer alterações em dias de mudanças bruscas de temperatura
 
Verifique a pressão dos pneus: ela pode sofrer alterações em dias de mudanças bruscas de temperatura
Verifique a pressão dos pneus: ela pode sofrer alterações em dias de mudanças bruscas de temperatura
Uma dica para quem mora em regiões muito frias é colocar um pouco de gasolina junto com etanol no tanque principal
 
Uma dica para quem mora em regiões muito frias é colocar um pouco de gasolina junto com etanol no tanque principal
Uma dica para quem mora em regiões muito frias é colocar um pouco de gasolina junto com etanol no tanque principal
Espere o motor atingir a temperatura ideal de funcionamento antes de ligar o ar-condicionado para esquentar a cabine
 
Espere o motor atingir a temperatura ideal de funcionamento antes de ligar o ar-condicionado para esquentar a cabine
Espere o motor atingir a temperatura ideal de funcionamento antes de ligar o ar-condicionado para esquentar a cabine
 
 

Algumas dicas para seu carro enfrentar melhor o frio

O AUTOO separou algumas dicas de nossos entrevistados para que seu carro encare melhor os dias em que o termômetro fica com a temperatura lá embaixo. Vamos a elas:

1 – Manutenção: antes de um período de frio intenso, é sempre bom verificar a condição da bateria, que pode ser mais solicitada nas primeiras partidas do carro. Se ela já estiver dando sinais de que precisa ser trocada, é bom providenciar a substituição. Os engenheiros ouvidos na reportagem também recomendam verificar se o carro está de alguma forma desregulado. O frio afetará ainda mais seu funcionamento. 

2 – Cuidado com o “tanquinho”: os carros mais modernos contam com sistemas de partida a frio bem mais modernos, no qual os bicos injetores são aquecidos, e deram adeus ao "tanquinho" de gasolina. Se o seu carro não tem essa tecnologia, é bom ver se o compartimento está abastecido. Os especialistas recomendam colocar sempre gasolina aditivada por contar com uma durabilidade superior em relação a gasolina comum. Notando problemas frequentes na hora de dar partida, vale a pena fazer uma revisão no sistema de partida a frio e ver se não há algum entupimento do conjunto.  

3 – Não saia “esgoelando” o carro por aí: em especial nos dias frios, é sempre bom rodar os primeiros quilômetros sem forçar muito o carro, como acelerações bruscas. “Para você saber quando pode conduzir normalmente, é só você esperar o marcador de temperatura no painel atingir a posição central ou a posição em que ele fica a maior parte do tempo. Alguns carros, como o Honda Fit, não tem o marcador de temperatura, mas uma indicação luminosa no painel avisa quando o motor ainda está trabalhando na fase fria”, explica Nilton Monteiro. 

4 – Se possível, deixe o carro em um local fechado: manter o carro em uma garagem, por exemplo, ajuda a deixá-lo menos suscetível à influência do frio. Isso pode ajudar com que ele dê a partida mais facilmente pela manhã, por exemplo.

5 – Verifique a calibração dos pneus: é interessante verificar a pressão dos pneus com a chegada do frio mais intenso, uma vez que pode haver uma contração nos mesmos devido a alteração no clima. 

6 – Espere um pouco antes de ligar o ar-condicionado: é recomendável esperar o motor atingir a temperatura de funcionamento antes de acionar o sistema de climatização, em especial se a ideia é esquentar o habitáculo. “Com o motor na temperatura ideal, o sistema de ar-condicionado tem condições de esquentar a cabine com maior eficiência pois ele depende do ar quente gerado pelo motor”, explica Nilton Monteiro, da AEA.

Veja também:  Uso obrigatório dos faróis é uma boa ideia?

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |