Em entrevista ao jornal alemão Tagesspiegel, o CEO da Opel, Nick Reilly, afirmou que está na hora de expandir suas atividades, restritas à Europa, Ásia e Oriente Médio. “Estamos considerando introduzir e reintroduzir a marca em vários mercados”, afirma Reilly, se referindo principalmente à América do Sul, além de Austrália e África do Sul.

De acordo com o CEO, tais mercados estariam ansiosos por receber modelos da Opel. O Brasil, por exemplo, de certa forma já conhece os modelos da subsidiária européia da General Motors, já que modelos como Meriva, Vectra, Astra, Omega (antigo) e Zafira rodam por aqui com o símbolo da Chevrolet. Mas o que Reilly quer, na verdade, é que os carros da Opel sejam comercializados sob a própria marca. Quanto a uma possível canibalização entre seus veículos e os semelhantes de outras subsidiárias da GM, o executivo crê que ela não acontecerá, já que a Opel, nesses novos mercados em que deseja atuar, seria considerada uma marca de luxo, numa categoria acima dos veículos das co-irmãs.

Rodrigo Mora

|