Um casamento com a pompa como o do príncipe britânico Willian e a plebeia Kate Middleton exige carros mais do que apropriados. E isso não falta na frota de veículos da família real do Reino Unido, muitos dos quais já têm até importância histórica. As marcas preferidas da realeza são Rolls-Royce e Bentley, produtos que além do alto requinte são produzidos pela indústria local. A confiança nas fabricantes é tanta, que ambas possuem o tão disputado selo de aprovação da coroa, algo muito valorizado no comércio local.

O príncipe vai de Bentley

No caminho até a Abadia de Westminster, o príncipe Willian foi conduzido a bordo do Bentley State Limousine. O modelo, único exemplar produzido, foi um presente da marca a Rainha Elizabeth II em 2002. Raramente usado, o veículo só aparece em ocasiões muito especiais, que exigem um desfile da família real para seus súditos.

Por conta disso, para evitar qualquer problema, o Bentley da coroa britânica contou com um rigoroso trabalho de blindagem. Os vidros são de material especial, resistente a projeteis de grosso calibre, e o restante da carroceria tem o reforço de malha de aço e kevlar, também para suportar ataques de armas de fogo. Todo esse aparado faz deste um dos veículos mais pesados já produzido pela tradicional fabricante de Crewe: ele tem mais de 4.000 kg (vazio).

Com tanto peso o motor precisa ser potente. No caso, o bloco 6.7 V8 com 400 cavalos de potência dá conta do recado, fazendo o carro acelerar até os 210 km/h. A limosine da Rainha tem até apelo ecológico: em 2006 foi convertido para rodar com biocombustível.

E o interior, como não poderia ser diferente, tem conforto digno de rei. Os ocupantes (apenas dois) vão na parte traseira, que conta com bancos de couro na cor creme e console com acabamento de madeira nobre. A cabine ainda possui compartimento refrigerado e uma televisão, item recentemente instalado.

A plebeia vai de Rolls-Royce

Kate Middleton chegou a Abadia com estilo, e não falamos de seu vestido. A esposa de príncipe Willian foi transportada no raro Rolls-Royce Phantom VI 1977. Blindado de fábrica, mas não tanto quanto o Bentley, o clássico modelo, apesar de relativamente novo, ostenta o visual de carros de luxo do final dos 1940. O modelo também foi um presente da fabricante para a Rainha, que na época foi ainda uma referência aos 25 anos da recuperação da indústria automobilística inglesa, que fora arrasada durante a Segunda Guerra Mundial.

O motor, embora ultrapassado, tem potência considerável. Trata-se de um bloco 6.7 litros de 200 cv, que pode levar o carro aos 160 km/h de velocidade máxima. Não é tanto, mas foi suficiente para livrar o príncipe Charles e sua mulher, a duquesa Camila Bowles, de um ataque de manifestantes com armas de paintball durante um protesto em Londres em 2010.

Lua de mel de Aston Martin

Terminada a cerimonia do casamento, o casal partiu para um novo passeio por Londres até a casa do príncipe Charles, mas desta vez sem motorista nem vidros blindados. O carro escolhido para a ocasião foi um Aston Martin Volante DB6 MKII, um clássico esportivo de 1969. Como o Bentley, o motor do conversível também foi modificado para rodar com E85. O modelo é outra máquina da frota da realeza e também roda pouco, cerca de 400 km por ano.

Thiago Vinholes

|