Cansada de ouvir que o Focus é seu veículo mais injustiçado – sempre elogiado pela imprensa, mas nunca divulgado como deveria -, a Ford reagiu e prometeu que “2010 será o ano do Focus no Brasil”.

O otimismo responde pela nova versão 1.6 flex que ganhou o moderno motor Sigma, com bloco e outras partes em alumínio. De construção avançada, o propulsor, no entanto, ganhou uma primeira versão modesta, apesar do duplo comando e das 16 válvulas. Seu rendimento é pouco superior ao do Rocam que o antecedeu e a bordo do Focus o consumo aumentou em parte pelo maior peso da nova geração.

Segundo a Ford, no entanto, o Sigma tem imenso potencial de ser explorado, além de se enquadrar nas exigências das normas de emissão de poluentes. Por isso, a montadora optou por desenvolver uma versão de funcionamento suave, homogêneo e de baixa vibração e ruído. A esperança  é de que o Sigma seja um motor de alta resistência capaz de durar até 240 mil km.

Liderança

Embora não tenha revelado quanto espera vender do modelo hatch, a Ford espera assumir a liderança do segmento – sem incluir o Astra, considerado um modelo de uma faixa inferior. Isso significa dizer que o Focus passará o Golf e o i30, o coreano que tem surpreendido o mercado.

Fazem parte desse plano o Focus 1.6 Flex que chega em janeiro nas versões GL e GLX e também o 2.0 com motor Duratec bicombustível a ser lançado entre o final do mês que vem e fevereiro de 2010.

Mas a tarefa não será fácil porque a montadora optou por abandonar momentaneamente uma faixa do mercado entre R$ 42 mil e R$ 48 mil, justamente onde Astra e o Stilo Attractive atuam. O Focus mais em conta custa R$ 49 900, como informamos ontem. É o GL que, por incrível que pareça, não responderá pelo maior volume de vendas, segundo a Ford. Para ela o Focus é o GLX com freios ABS que custa R$ 52 400, mil reais a mais que o GLX padrão.

A versão GL acabou sendo incrementada e agora traz ar condicionado, trio elétrico (apenas vidros dianteiros), direção hidráulica (e não eletroidráulica como o Focus 2.0), rádio de série com MP3 e entrada para iPod, seis alto-falantes, rodas de liga leve de 16 polegadas, airbags duplos, computador de bordo e até volante revestido em couro.

Ao GLX restaram poucos itens: nele há os vidros elétricos traseiros, sistema de fechamento automático  dos vidros, descansa-braço central e detalhes pintados na cor do carro como aerofólio, retrovisores e a régua do porta-malas. O ABS com EBD incorpora freios a disco sólido na traseira no lugar dos tambores.

Sedã 1.6 existe

Uma situação curiosa ocorreu na apresentação à imprensa. A Ford esqueceu-se da versão sedã do Focus 1.6. A empresa deu a entender que os clientes de sedãs não gostam de motores de baixo volume, mas no final revelou que o Focus Sedan 1.6 existe – apenas na versão GLX com ABS e preço de R$ 54 400.

Outra ausência ao menos temporária é a transmissão automática. Por ora, a Ford não pensa em oferecer esse opcional. As vendas do novo Focus começam na segunda quinzena de janeiro e todas as 420 concessionárias da marca terão um exemplar faturado para test-drive. A idéia é fazer com que o consumidor sinta na pela as vantagens do modelo. Como se vê, a Ford resolveu assumir a paternidade do seu filho até então rejeitado.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/